Frango
Quenga,preparado comfrango desfiado e cenoura é outra opção do Porto. (Amanda Vieira/JP)

Durante o inverno, que começou em junho e termina em setembro, o ser humano procura diversas formas de se aquecer e uma delas é ingerindo alimentos quentes, como caldos, feitos com cozidos de legumes, carnes ou peixes e, ainda, com os ossos, espinhas ou a cabeça do peixe e frutos do mar. Opções destas preparações nesta época do ano não faltam em estabelecimentos gastronômicos do município.

No restaurante e choperia Porto do Norte, por exemplo, acontece há quatro anos o Festival de Caldos do Porto. O evento possui um cardápio especial para o jantar, onde são oferecidos mais de 20 tipos de caldos, entre eles os de caranguejo e o mocofava (mocotó, carne seca, fava e calabresa), que são as novidades desta temporada.

Os caldos mais pedidos no local, de acordo com o sócio-proprietário da casa, Paulo Cesar Pavan, são os de mandioquinha com carne seca e o de costela com mandioca. Durante o ano todo, entre os sabores de caldos tradicionais do cardápio estão o de mocotó, o de feijão e o quenga (frango desfiado, ervilha, milho, cenoura e batata). Para acompanhar os caldos são servidas massas, pães, torradas e queijos. Segundo Pavan, os ingrediente utilizados nas preparações são naturais e frescos.

“Montamos uma mesa bem diferenciada e bem legal. O pessoal fica surpreso quando chega e vê nossa variedade. No inverno, quando bate o friozinho, as pessoas procuram o caldo para provar e aparecem clientes desde os mais novos até os mais idosos. Percebemos um fluxo bem variado. A galera elogia bastante”, afirmou. Os preços da porção do caldo variam de R$9,90 a R$29,90. Há, ainda, às segundas-feiras, a promoção de que o casal paga 49,50.

Outro local que também disponibiliza caldos é a Padaria do Vovô, fundada em 15 de junho de 1981 e adquirida pela família Defavari em fevereiro de 1987. O menu de caldos do estabelecimento tem os típicos feijão com batatas e o verde. O caldo de feijão com batatas possui, além das batatas, cenouras cortadas em cubinhos, macarrão, sal, orégano, cheiro verde e cebolas picadas. O caldo verde é feito com couve, manteiga cortada em tiras e linguiça calabresa defumada em rodelas.

“Nosso diferencial é a qualidade, aparência e sabor. Nossos caldos são preparados todos os dias, com legumes frescos, carnes fresca e temperos frescos. Sempre com higiene e cuidado total do pessoal com os alimentos”, explicou o responsável pela unidade, Ademir José Defavari. Os pratos para viagem custam R$29,50 o quilo. Caso o cliente deseje consumir no local, o valor é R$ 22,90, à vontade.

“Os caldos bem feitos, tanto na combinação dos ingredientes e em cozimento lento, ficam mais ricos em nutrientes. Eles podem ser consumidos imediatamente, podem ser congelados ou podem ser consumidos em uma pequena quantidade antes de uma refeição para amenizar a fome. Eles também são considerados ‘confort food’, que são comidas reconfortantes, que te aquecem, que te remetem a alguém e que te fazem bem. Tem caldos que são apenas pra aquecer nosso corpo. Alguns, inclusive, ajudam na recuperação de pessoas doentes”, explicou a gastrônoma Mônica Rugani.

SERVIÇO — Padaria do Vovô (avenida Saldanha Marinho, 1433, bairro Cidade Alta). Informações: (19) 3422-7001. Porto do Norte Restaurante (rua do Rosário, 350, Centro). Informações: (19) 3377-7410.

 

(Leonardo Benedito)

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dezessete − doze =