5º incêndio em Ecoponto do Oriente tem origem criminosa

Proximidade com escola e habitações é questionada; prefeitura vai remodelar funcionamento dos ecopontos

O incêndio no ecoponto do Jardim Oriente nesta semana foi criminoso, informou a Sedema (Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente). De novembro pra cá, esta é a quinta vez que o local fica em chamas. O último episódio aconteceu entre a noite de terça-feira e madrugada de ontem, atingindo uma área aproximada de 1.500 metros.

Moradores da região cobram solução do poder público

Três caminhões e uma viatura do comando de área do Corpo de Bombeiros foram destacados para controlar as chamas. Aproximadamente dez homens participaram da operação. Os ecopontos são equipamentos da prefeitura e, ao todo, sete estão ativos nos bairros Mário Dedini 1 e 2, Monte Rey, Bosque dos Lenheiros, Jardim Oriente, Ártemis e Santo Antônio. “No local, havia galhos e aparas (sobras de resíduos de capinação). Ninguém ficou ferido durante o incêndio, que teve origem criminosa”, informou a assessoria de imprensa da prefeitura. Os bombeiros foram chamados para atender a ocorrência por volta das 19h desta terça-feira. Assim que o fogo ficou sob controle, uma equipe de funcionários municipais começou o trabalho de rescaldo – esta operação teve como fim previsto para a tarde de ontem.

Os ecopontos são terrenos de descarte destinados à entrega voluntária de pequenos volumes de resíduos sólidos – até 1m³ por pessoa ao dia. Os locais estão preparados para receber resíduos da construção civil e materiais volumosos como móveis, poda de árvores, além de papelão, papéis, metal e plástico. O casal Eleandro e Ilza Miranda moram nas proximidades do ecoponto do Jardim Oriente reclamam da fumaça e da proximidade com a área de descarte. “É complicado respirar, ainda mais à noite”, diz Eleandro. Ilza alega que tem de tomar remédios diariamente para melhorar a respiração. Os Mirandas pedem uma solução à prefeitura. “Isso não é um ecoponto. É um ecolixo porque tudo é descartado aí. Para mim, o local também é irregular: está do lado de uma escola e próximo às nossas casas. Esta deveria ser uma área de lazer para os moradores poder usufruir e não para colocar lixo na nossa porta”, diz Eleandro, que também reclama da falta de fiscalização da área.

VAI MUDAR?

Há cerca de um mês, a Sedema anunciou uma remodelação no funcionamento dos sete ecopontos de Piracicaba. A disputa pelo pregão eletrônico do serviço acontece no próximo dia 7 e a prefeitura estima gastar pouco mais de R$ 230 mil. Os resíduos sólidos retirados dos ecopontos deverão ser transportados o material até a Central de Tratamento de Resíduos Palmeiras. A ideia é fazer o descarte em caçambas que, quando cheias, são levadas até a central de resíduos.

Cristiane Bonin

[email protected]

Leia Mais:

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

1 × três =