66,5 mil estudantes da rede pública voltam às aulas em Piracicaba

Alunos das escolas públicas municipais e estaduais retornaram às aulas nesta segunda-feira (3). (Crédito: Claudinho Coradini/JP)

A partir desta segunda-feira (3), cerca de 66.500 estudantes voltam às aulas nas redes municipal e estadual de Piracicaba. Deste total 36 mil são da educação infantil e ensino fundamental do município.

O ano letivo começa com a implementação do Currículo Municipal, documento que norteará a educação oferecida pelas escolas municipais, integrado ao Currículo Paulista.

Segundo informações da Secretaria Municipal de Educação para 2020, a educação infantil, que atende crianças de zero a cinco anos nas creches e pré-escolas, foram abertas 20.185 vagas e mais de 19 mil matrículas já foram efetivadas. No primeiro ciclo do ensino fundamental, estão matriculados 17.430 alunos de seis a dez anos de idade.

A rede municipal conta com 90 escolas de educação infantil e outras 47 de ensino fundamental. O ano letivo também começa com a implementação do currículo municipal. Para isso, os educadores participaram na última terça-feira, do Dia D do Currículo Municipal para estudar e discutir a implementação do currículo na rede. “Tem um caráter integrador, porque é um documento pensado da primeira etapa da educação infantil, desde o berçário, até o quinto ano do ensino fundamental, considerando sempre a articulação, a integração e a transição entre os dois segmentos, seu aspecto inclusivo, ressaltando que todos têm direito de estar na escola”, diz a formadora Ana Lúcia Parra.

REDE ESTADUAL

Nesta segunda-feira, as 63 escolas estaduais pertencentes da Diretoria Regional de Piracicaba receberão os 30.447 estudantes. A pasta estadual informou que neste ano letivo começa a vigorar o programa Inova Educação, anunciado no ano passado, que é um modelo pedagógico que vai conectar as escolas à realidade dos estudantes do século 21.

O Inova será ofertado a todos os 2 milhões de estudantes matriculados nos anos finais do ensino fundamental e do ensino médio na rede estadual de São Paulo.

Estes estudantes ganharão uma aula a mais e um aumento na carga horária de 15 minutos por dia. Serão sete aulas diárias de 45 minutos cada, em vez de seis como era até o ano passado. Todas as disciplinas regulares ficam mantidas.

Os estudantes do período matutino passam a sair da escola às 12h35 – não mais às 12h20. No período vespertino, a saída será às 18h35 – no ano passado era às 18h20.

NOVAS AULAS

Entrará no currículo obrigatório duas aulas por semana da atividade denominada “Projeto de Vida”, mais duas aulas do componente Eletivas e uma de Tecnologia e Inovação.

As disciplinas eletivas serão oferecidas a partir do levantamento dos sonhos e anseios dos estudantes e das possibilidades de oferta dos professores. Além disso, serão disponibilizadas duas aulas semanais de Projeto de Vida, onde os estudantes farão atividades para definirem seus objetivos, planejarem seus rumos futuros e se organizarem para chegar onde querem. As atividades abrangem ética e cidadania, sonhos, projetos na comunidade, mundo do trabalho, vida acadêmica etc.

Por fim, a disciplina de Tecnologia e Inovação pretende trabalhar três eixos: pensamento computacional; tecnologias digitais da informação; e comunicação e letramento digital.

O objetivo da mudança é organizar o calendário e o planejamento das atividades pedagógicas, além de garantir que docentes que atuam nas redes estadual e municipais consigam conciliar os períodos de recesso escolar e férias.

Beto Silva

[email protected]