8 sintomas de imunidade baixa para ficar de olho

Foto: Pexels

Geralmente, os sintomas de imunidade baixa surgem quando as defesas do corpo não estão sendo capazes de combater os agentes infecciosos. Como por exemplo os vírus e bactérias a que estamos frequentemente expostos. Calafrios, febre, dores, cansaço, indisposição e infecções recorrentes. Esses sinais desagradáveis podem ser um aviso do seu organismo de que algo não vai bem.

Contudo, a boa notícia é que existem várias dicas que podem ajudar a reforçar a imunidade, incluindo uma boa alimentação. 

O que é imunidade baixa?

Antes de mais nada, é importante entender que o nosso corpo já possui uma defesa natural. Isto é, milhões de células que trabalham pra garantir uma vida plena e saudável. Estamos falando dele, o sistema imunológico – composto por mecanismos de defesa que estão sempre atentos à invasão de agentes nocivos e combatendo-os quando necessário.

Esses mecanismos se dividem em dois grupos: a imunidade inata e a imunidade adquirida. Neste primeiro, aquelas que estão conosco desde o nascimento. Já no segundo, as defesas que adquirimos com o passar dos anos, contraindo doenças ou sendo expostos a elas de forma controlada, como é o caso das vacinas.

Quais os sintomas de imunidade baixa?

A imunodeficiência, mais popularmente conhecida como baixa imunidade, acontece quando o organismo fica fragilizado, seja por uma condição crônica ou passageira. Desta forma, o corpo fica mais sensível e propenso a desenvolver infecções e problemas de saúde. Veja, a seguir, quais são os principais sintomas aos quais devemos ficar atentos: 

1. Dores no corpo

Sentir uma dorzinha é normal, certo? Errado! Estar dolorido sem uma causa aparente pode ser um alerta do seu corpo. Ou seja, você está sentindo algum tipo de incômodo que dificulte o sono ou as tarefas do dia a dia, fique de olho nos demais sinais. 

2. Preguiça excessiva

Diferente do cansaço depois de um dia mais puxado, sentir preguiça, indisposição ou desânimo, e não ter vontade de realizar os seus afazeres, deve ser um sinal de alerta. Além disso, estar sempre com uma sensação de sono também pode ser um dos sintomas de imunidade baixa. Muitas vezes, pode ser confundido com depressão ou estresse, ou até mesmo resultado de uma carência nutricional. Em todos esses casos, é preciso procurar orientação médica.

3. Perda ou ganho de peso

Perder ou ganhar peso rapidamente pode ser um reflexo de como anda o seu sistema imunológico. Isso porque para que o organismo funcione bem, é necessário que os níveis dos hormônios progesterona e estrogênio estejam bem balanceados. Por isso, quando as defesas do corpo estão comprometidas, esse equilíbrio hormonal é alterado, o que pode fazer com que se perca ou ganhe peso rapidamente.

4. Doenças e infecções recorrentes

Já teve aquela gripe ou resfriado que não ia embora nunca, ou que estava sempre voltando? Isso também pode ser sinal de que as defesas do corpo precisam de reforço. Afinal de contas, um organismo saudável é capaz de se curar nessas situações, conforme o ciclo natural da doença.

A recorrência de herpes, aftas, feridas, abscessos, otites, amigdalites, e outros tipos de infecção, como intestinal, respiratória e de pele, também são importantes alertas.

5. Anemia 

A anemia pode ser mais um dos sintomas de imunidade baixa. Aliás, estudos científicos comprovam que o ferro desempenha um papel importantíssimo no sistema imunológico. Em suma, é responsável pela proliferação de células imunes, principalmente linfócitos, associados à geração de uma resposta específica à infecção.  

6. Queda de cabelo excessiva

É normal perder cerca de 100 fios por dia, naturalmente, mesmo quando o sistema imune está fortalecido e os cabelos estão fortes e brilhantes. No entanto, quando a imunidade está baixa, é comum que a queda de fios seja mais intensa. É importante sempre observar, ok?

7. Diarreia

Episódios frequentes de diarreia também podem estar relacionados à imunidade baixa. Isso porque, muitas vezes, esses episódios estão relacionados a um desequilíbrio da microbiota intestinal (também conhecida como flora intestinal). O intestino é um dos órgãos mais importantes para o sistema imune.

Ainda, olhando por um outro prisma, quando a diarreias ocorrem com muita frequência, independente da causa, também costumam prejudicar os níveis de bactérias boas presentes no intestino, o que pode comprometer o seu sistema de defesa.

8. Problemas com a cicatrização

Ao sofrer uma queimadura, arranhão ou corte, a pele trabalha pra controlar os danos e proteger a ferida. Assim, o corpo envia sangue pra lesão, com a finalidade de regenerar a pele. Essa situação é o que chamamos de processo de cicatrização. Pra que isso aconteça de forma adequada, é preciso células imunológicas saudáveis. Ou seja, quando o sistema imunológico está danificado, a pele terá mais dificuldade pra se recuperar.

O que fazer quando a imunidade está baixa?

Todo mundo quer estar com a saúde em dia, não é? Por isso, é importante evitar ao máximo que a imunidade fique baixa, pois nesse caso o corpo fica mais suscetível às doenças de modo geral. 

Existem diversas causas pra isso, que vão desde a má alimentação, por exemplo, até variações emocionais, muitas noites mal dormidas, excesso de medicamentos e abuso de álcool. Por isso, o ideal é sempre adquirir hábitos saudáveis, e fazer também check-ups anuais. 

Sintomas de imunidade baixa e alimentação

A nutrição está ligada à imunidade. Pra começar, o intestino é responsável por regular até 70% das funções imunológicas do organismo. Além disso, certos nutrientes são essenciais pra auxiliar no funcionamento do sistema de defesa, de forma direta ou indireta.  Ou seja, pra dar aquela forcinha pra imunidade, é preciso apostar em uma alimentação balanceada como parte da rotina, e não somente quando já está doente, certo?

Na lista dos alimentos amigos da imunidade, estão itens como:

Frutas cítricas, riquíssimas em vitamina C, como a laranja, a mexerica, o limão, a acerola e a goiaba;

Frutas e legumes laranja-avermelhados, ricos em vitamina A, como mamão, manga, cenoura, beterraba e tomate, por exemplo;

Verduras verde-escuras, principalmente a couve, o espinafre, a escarola, a rúcula e o agrião;

Além dos peixes e frutos do mar, das oleaginosas (castanha-do-Pará, castanha-de-caju, amêndoa, avelã, macadâmia, pistache) e ingredientes probióticos, como os iogurtes, por exemplo.

Por outro lado, deve-se evitar o consumo excessivo de gorduras saturadas e de açúcares, pois podem aumentar a inflamação e piorar o funcionamento do sistema imunológico.

Da Redação

LEIA MAIS

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

9 − dois =