Cumprimento cada professor e professora nesse nosso mês

Nesse Mês do Professor, cumprimento cada professor e professora, que faz da educação uma missão de vida.

Cada um e cada de uma de nós, que abraçamos a causa da educação pública, de qualidade, inclusiva, socialmente referenciada, somos responsáveis por construir a possibilidade de um futuro de realizações pessoais e profissionais para as crianças e jovens que, conosco, fazem o processo educativo acontecer.
Como diz o mestre Paulo Freire, patrono da educação brasileira: “quem ensina aprende ao ensinar e quem aprende ensina ao aprender”. A educação é um permanente aprendizado, e é por meio dela toda nação pode prosperar e se tornar mais justa e mais igualitária. Educar é formar cidadãos e cidadãs plenos, conscientes e preparados para as transformações de que a sociedade necessita. Esse é o nosso legado.

Nossa profissão é a mais importante, porque sem professores não existiram todas as demais profissões. Médicos, engenheiros, cientistas, economistas, sociólogos, biólogos, enfim, todos os profissionais passaram pelos bancos escolares e pelas mãos dos professores.

Por isso, devemos celebrar o Dia 15 de Outubro como o nosso dia.

Como educadores, somos valorizados pela sociedade. Porém, desprestigiados pelo governo, sobretudo no Estado de São Paulo. Mas nunca cessamos de lutar.

Neste momento em que a pandemia do novo coronavírus nos impõe novos e grandes desafios, a começar pela defesa da vida, o nosso bem mais precioso, me coloco na linha de frente desta luta contra a insistência do Governador Doria e seu Secretário da Educação, Rossieli Soares, em colocar em risco a vida de milhões de estudantes, professores, funcionários de escolas e suas famílias, tentando reabrir as escolas em plena pandemia. Não é à toa que lutamos pelos direitos de todos da categoria, com especial atenção àqueles segmentos mais atingidos, que são os professores contratados temporariamente, sobretudo os eventuais e categoria O, com contratos suspensos, que estão sem salários e aos quais o governo estadual se nega a conceder auxílio emergencial.

Lutamos pela contratação justa para todos os professores contratados temporariamente, assim como temos lutado arduamente para que nenhum professor, seja efetivo, não efetivo, da ativa e aposentado seja atacado em seus direitos profissionais e salariais.

Os aposentados já contribuíram durante toda a vida para o seu direito a uma aposentadoria tranquila. Porém, não bastasse os baixos valores que recebem, o governo ainda impôs o aumento das alíquotas de contribuição. A APEOESP vai até o fim contra essa injustiça, com duas ações diretas de inconstitucionalidade contra a reforma da previdência e uma ação judicial contra o decreto 65.021/2020.

Toda a luta vale à pena. E o melhor presente que queremos dar a cada professor e a cada professora é a conquista de valorização salarial e profissional e a derrota de todos os ataques e injustiças que querem nos impor.

Não poderia, finalmente, encerrar esse artigo sem expressar minha homenagem aos mais de 150 mil brasileiros e brasileiras que faleceram vítimas da covid-19 e da ação de um governo irresponsável. Entre eles, tantos queridos professores e professoras, de todas as idades, que infelizmente nos deixaram.

Estarão sempre presentes!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

1 × quatro =