Lendo este título, certamente alguns vão dizer: “Não é bem assim!”. Compreendo, mas neste artigo vou ousar (pelo menos tentar) mudar esta visão distorcida que muitos tem de si mesmo e da vida. Vamos juntos!

Atualmente, uma das áreas de maior destaque na neurociência trata da forma como o cérebro se comunica, qual sua linguagem e as consequências dela.
Nossos pensamentos geram emoções e estas geram comportamentos. Está aí o processo. E vou além: quem comanda isso tudo é o cérebro e quem comanda o cérebro é você! Provo: você é agora o que pensou nas últimas horas e será amanhã o que está pensando hoje e assim por diante… Portanto, somos nós mesmos que construímos nossos círculos viciosos ou virtuosos.

Medos, traumas, dúvidas, dificuldades e “travas” na vida adulta tem sua origem principalmente na nossa infância e ficam escondidos e bem registrados em nosso inconsciente. Não sabemos lidar com isso e, então, sofremos e jogamos fora inúmeras oportunidades pessoais e profissionais por conta disso.

“Acordar” é o primeiro passo para uma vida nova. Daí para frente é só utilizar as ferramentas certas para um pleno desenvolvimento emocional e, consequentemente, para uma vida destravada e feliz. Como disse Jung: “Quem olha para fora sonha, quem olha para dentro, desperta”.

Uma das ferramentas poderosas para esta “transformação” começar, é desaprender muito do que aprendemos. Sim, um paradoxo eficaz e positivo neste trabalho, que pode até parecer difícil, mas perfeitamente possível.

Muitos chamam estes registros inconscientes de “crenças limitantes” e são elas que precisamos desaprender através do autoconhecimento, “desvendando” quem são e ressignificando-as, numa verdadeira e restauradora limpeza psíquica.

Um dos exemplos que uso para uma melhor compreensão dessa ferramenta é que nosso cérebro não entende o “não”, principalmente quando crianças (dificuldade maior nisso), porém, no decorrer da vida isso continua em outros formatos e atitudes. Portanto, para tudo aquilo que desejamos, devemos evitar a palavra “não” e veremos o resultado. Não pense agora em um carro amarelo… O que aconteceu? Pensou? Pois é…

Crenças são adquiridas ao longo da vida e temos a missão de trocá-las por aquilo que realmente faz parte de nossa essência. Além disso, pensamentos negativos devem ser substituídos de imediato por pensamentos positivos. Lembre-se: somos agora o que pensamos antes. E não tenha dúvida, pensamentos bons nos trazem emoções boas e estas nos fazem agir na mesma sintonia. Entretanto, precisamos criar estas novas “trilhas” cerebrais, eliminando aquelas que não nos fazem bem.

Lógico que estar com pessoas que nos ajudam neste processo é imprescindível. Conviver com pessoas negativas ou que de alguma forma nos levam “para baixo”, vai ser um poderoso inibidor do nosso crescimento e de qualquer atitude de mudança, além de poder nos causar coisas ainda piores.

Mas se você ainda tem dificuldade ou dúvida, tente começar a dizer para si mesmo: “Vai dar certo. Eu posso. Vou fazer acontecer”. Quando agimos assim, nosso cérebro se abre e começa a buscar as soluções. E elas aparecem!

“Todos nós nascemos originais e morremos cópias” (Jung). Que tal você ser mais uma prova de que Jung estava “errado” nesta frase?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

onze − 8 =