A importância de se reinventar

Decisão de mudar de vida ou profissão pode ser o estopim para o sucesso de qualquer pessoa (foto: Claudinho Coradini e Amanda Vieira/ JP)

Mudar de carreira não é fácil. Passar anos em uma área que até mesmo era vista como bem- -sucedida, para então questionar-se se está mesmo tudo bem permanecer onde está. Independente do motivo, pessoal, familiar ou até mesmo profissional, essa mudança necessita de uma ressignificação da pessoa e talvez seja essa a palavra-chave para dar um giro de 360º na vida.

De acordo com a psicóloga, Ana Carolina Pascoalette, as pessoas que se ressignificam se permitem entrar em novas experiências e aprendizados. “O ato de ressignificar é uma virtude que consiste em todos os seres humanos, permitindo que as pessoas transformem suas dores, dificuldades, medos e decepções em motivações e grande aprendizado”, explica.



Uma das pessoas que transformou sua vida completamente foi Maria Cristina Theodoro, proprietária do restaurante Porto das Águas, na Rua do Porto. Cristina atuou por quase 20 anos na área de advocacia e era especializada na área de direito criminal e adorava a profissão, mas resolveu mudar de área.“O advogado é como um médico e você só procura um médico quando você está com problema, então era um em cima do outro”, explica.

Nesse período, ela resolveu abrir o seu próprio restaurante na Rua do Porto e lá se vão 12 anos, porém segundo Cristina, logo nos primeiros quatro meses foi um sucesso. “Começamos a vencer alguns festivais gastronômicos”, lembra.

Com esse novo segmento, Cristina sonhou ainda mais alto e investiu em uma nova graduação: gastronomia e formou-se em 2018, hoje é a responsável por todas as novidades gastronômicas dos seus dois restaurantes.

Rosália deixou o turismo para ser cabeleireira

Um outro exemplo é a Rosália Lopes, uma mulher que estudou e trabalhou na área de turismo e, após 18 anos de uma carreira fixa, percebeu que não estava mais feliz e decidiu que estava na hora de seguir um novo rumo em sua vida profissional como cabeleireira.

“A maioria das pessoas tem medo de mudar depois de anos em um lugar. As pessoas próximas a mim ficaram receosas, pois já tenho 40 anos e procurava uma nova profissão”, conta.

Para Rosália essa mudança renovou suas energias. “Eu gosto de inovar e aprender. Não é fácil, mas é vale a pena, é motivador!”

Demora era advogada e hoje é empreendedora

Outra transformação de trabalho e área, partiu de Débora Aceti, advogada especializada em meio ambiente, mestre em educação e professora de graduação. Percebeu que suas atividades consumiam sem tempo e não conseguia ficar perto de seu filho. Ela decidiu recriar-se e comprou uma lavanderia. Não teve sucesso na primeira tentativa, mas tentou de novo e deu certo.

“A lavanderia me toca de uma maneira efetiva, porque eu quis refazer tudo da minha vida, desde a forma que trabalhava”, comenta.

Além disso, Débora destacou que seus avós foram donos de uma lavanderia quando ela era criança. Foi o que a motivou empreender novamente no ramo junto com o apoio da família, mesmo ninguém sendo do ramo atualmente.

“Ressignificar um trabalho, uma profissão, uma condição existencial, é se dar a oportunidade de transformar uma grande mudança na vida, vivendo uma nova esperança, motivação, entusiasmo”, enfatiza a psicóloga Ana Carolina.

Larissa Anunciato

[email protected]

Isabella Ercolin