O relacionamento entre netos e avós é muito saudável tanto para o desenvolvimento das crianças, quanto para a satisfação dos avós. A atuação dos idosos representam fundamental importância para a vida das crianças, pois eles são referências familiares, fonte de histórias e de experiências, que complementam o desenvolvimento emocional, social, intelectual das crianças.

Os avós representam uma fonte de amor toda especial, diferente da forma de amar dos genitores, pais. É comum associar memórias do período da infância com a presença dos avós, pois quase sempre eles deixam experiências marcantes na vida dos netos, com receitas de guloseimas caseiras, passeios, muita alegria, histórias do passado dos familiares, ou ainda férias escolares na casa dos avós que acabam tornando–se grandes exemplos nas vidas para os netos, Essas lembranças são verdadeiras preciosidades. Percebemos nos dias atuais que o papel dos avós está passando por mudanças, pois na sociedade pós-moderna eles estão mais ativos e ocupados com suas rotinas, porém a convivência ainda é fundamental para o conhecimento e resgate das histórias familiares, pois geralmente é por meio deles que os netos constroem raízes familiares, que promovem o fortalecimento de suas identidades quando alcançarem a vida enquanto adultos, pois ainda estão vinculados à identificação dos conceitos morais e culturais da família, tradições que a criança absorve, aprendendo de uma maneira toda especial. Os avós constroem esse vínculo, desenvolvendo toda a cumplicidade com os netos, sem a responsabilidade da função primordial de educar, incentivando, na maioria das vezes, os bons hábitos e costumes de exemplos que somente quem tem maturidade pode oferecer. As crianças e adolescentes tendem a acrescentar enriquecimento na convivência com os avós maternos e paternos, pois tal vínculo auxilia em estímulos diversos como exercitarem–se mais, auxiliarem os pais a levarem ao pediatra, reuniões escolares, ampliando ainda o repertório de conhecimento de como fazerem pesquisas para auxiliarem os netos com as atividades escolares, ajudar na lição, dentre outras atividades, englobando a convivência com um ambiente único, com indivíduos diferentes.

Para os pais das crianças e adolescentes essa familiaridade é muito significativa, podendo construir com os avós parcerias que auxiliam na criação dos “pequenos”, principalmente naquelas situações que necessitam se ausentar. Enquanto para os avós, além de prazeroso, ficar com os netos que estarão sobre a sua responsabilidade, seus cuidados podem ser uma maneira de sentirem-se valorizados socialmente, sendo úteis, promovendo mais sentido às suas vidas.

Ainda é comum ouvirmos que avós são pais em dobro e essa afirmação é verdadeira, pois por intermédio dessa convivência, proporciona-se aos avós a oportunidade de participar da vida das crianças da família, porém de uma maneira mais tranquila. É comum ouvirmos que os avós costumam mimar demais os netos, principalmente burlando regras e normas sugeridas pelos pais e, realmente, pode ser uma verdade, porém se os pais conseguirem conduzir de maneira adequada nem sempre é ruim, já que as crianças tendem a receberem muitos benefícios com essa relação. Esse contato permanente tem como efeito muito amor, apoio e ensinamentos. A convivência entre filhos, pais e avós deve ser incentivada e valorizada por toda a família por er extremamente saudável para todos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

treze − 7 =