A juventude de Diogo Soares nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Foto: Claudinho Coradini/JP

Os Jogos Olímpicos de Tóquio/2020 terminam neste domingo, dia 8, e o maior evento esportivo do mundo vai estar para sempre na memória de um jovem piracicabano de 19 anos, que esteve no Japão para representar a tradição esportiva da cidade de Piracicaba no torneio de ginástica artística.

O atleta que está em pauta neste Persona de Dia dos Pais, é Diogo Brajão Soares, que apesar da pouca idade, abriu com leveza e responsabilidade a serie das apresentações da seleção brasileira adulta, no Centro de Ginástica Ariake, em Tóquio.

Ele foi gigante em sua primeira participação nas Olimpíadas e acabou a competição entre os 20 maiores ginastas dos Jogos Olímpicos. A sua performance rendeu a somatória de 81.198 pontos e com tamanha disciplina e amor ao esporte, o futuro certamente guarda muitas boas surpresas para esse piracicabano da ginástica artística.

https://www.youtube.com/watch?v=xTxDlF53ElA

Como foi a sua iniciação na ginástica artística?
A ginástica faz parte da minha vida desde os quatro anos e na lembrança mais antiga dessa fase eu já estava na prática da modalidade. Os meus pais dizem que sempre fui uma criança cheia de energia e que vivia pulando pela cama e fazendo estrelinhas pelos cantos da casa. O início oficial da carreira aconteceu no ano de 2006, quando ganhei bolsa 100% oferecida pelo treinador Daniel Biscalchin da Academia Pira Olímpica. No ano de 2009, integrei um projeto de formação de base, desenvolvido em conjunto com Prefeitura Municipal de Piracicaba. Aos sete anos eu já integrava a equipe de treinamento e aos nove, comecei a participar dos Jogos Regionais e a conquistar títulos em campeonatos paulista e brasileiro.

Fale sobre o apoio de sua família e a contribuição dela no sucesso de sua careira.
Como o Daniel, o meu treinador sempre disse, alguns fatores são fundamentais para o sucesso na carreira esportiva, como um bom local para os treinamentos, um professor que possa extrair o melhor do atleta e o apoio familiar. No meu caso, esse apoio é enorme, começou quando decidi seguir essa carreira e segue até hoje. O meu pai me traz à academia todos os dias e a minha mãe muda sua rotina quando o assunto é a ginástica, seja para lavar as roupas ou deixar a alimentação pronta.

O Diogo tem planos para a sua carreira profissional após a fase como atleta?
No momento, o foco está 100% voltado à ginástica, mas futuramente quero fazer uma faculdade, possivelmente, educação física.

Qual o segredo da parceria de 15 anos com o treinador Daniel Biscalchin?
Nos bastidores de minha carreira está o Daniel que me acompanha desde que ingressei na modalidade. Ele é uma pessoa inteligente, dedicada em seu trabalho e que sempre procurou oferecer um treinamento forte, que respeitava os meus limites, ao mesmo tempo, que exigia dedicação em cada movimento. Muitas vezes, eu aprendia exercícios que outros atletas teriam acesso cinco, seis anos depois. Ele tem conhecimento amplo na modalidade e por isso o meu treinamento sempre esteve acima da média em todas as fases de meu desenvolvimento. Ele é uma pessoa especial, um amigo que está preocupado com a minha formação. No início, foi ele quem me ensinou coisas simples da vida, como comer de garfo e faca e a nadar. É um respeito, uma confiança e uma amizade que só cresce através dos anos.

Quais são os fundamentos necessários para a prática da ginástica artística?
O atleta precisa acreditar em seu potencial, ter paciência, determinação e a vontade para treinar todos os dias e seguir em frente para evoluir ano após ano. O apoio familiar novamente merece destaque nessa pergunta, pois será a família quem vai dar o suporte para que a criança possa ter a chance de praticar o esporte adequadamente.

O leitor sabe que um atleta de alto rendimento precisa de disciplina, paciência e dedicação. Como encontrar a motivação para horas e horas de treinamento para um menino de 19 anos?
A vida de um jovem hoje em dia tem inúmeras possibilidades e assim, fica fácil perder o foco, mas novamente insisto na importância do apoio familiar, dos amigos e do técnico que foram os personagens fundamentais para mostrar o caminho quando eu pensei em desistir. Nesses momentos foi preciso compreender o quanto aquela modalidade esportiva era importante na minha vida e o que a modalidade ainda poderá oferecer para a carreira.

Quais foram as suas principais conquistas nestes 15 anos como ginasta?
Na carreira já são mais de 100 títulos, entre os nacionais e internacionais, mas destaco alguns importantes como o Campeonato Pan-Americano 2021 (bronze individual geral e nas barras paralelas e campeão por equipes), Mundial Juvenil 2019 em Gyor, na Hungria (prata nas argolas), Jogos Olímpicos da Juventude 2018 em Buenos Aires, na Argentina (bronze individual geral e prata na barra fixa), Gymnasiade 2018 em Marrakesh, no Marrocos (campeão individual geral, salto e paralelas e vice-campeão no cavalo e por equipes), International Junior Team Cup 2019 em Berlim, na Alemanha (campeão individual geral, solo, paralelas e barra fixa e bronze nas argolas), International Junior Gymnastics Competition 2017 em Yokohama, no Japão (bronze na barra fixa) e o Decacampeonato Brasileiro de ginástica artística, ao vencer a competição em todas as categorias que disputou desde 2011.

A participação em Jogos Olímpicos é uma experiência única e marcante na carreira do atleta. Qual o sentimento de estar lá e representar o seu país?
É um ambiente mágico e você quer fica lá, na convivência com os melhores atletas do mundo e com uma estrutura fantástica para a prática da modalidade. Os Jogos Olímpicos despertam o desejo em querer chegar mais longe. O Brasil está numa evolução na ginástica e quero aproveitar a oportunidade para ser cada vez melhor e dar orgulho ao país. Quero fazer história e estar num pódio olímpico com esses grandes representantes da ginástica.

Com os Jogos Olímpicos você tornou-se um exemplo para as crianças de nossa cidade e do Brasil. O que dizer a eles, principalmente àqueles que desejam praticar a ginástica?
É preciso acreditar em seu potencial e saber que no final, os resultados aparecem e todo o esforço valeu a pena!

Edilson Morais
[email protected]

LEIA MAIS

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

2 − 1 =