A mente fala, corpo e vida obedecem

(Foto: Freepik)

O Cérebro. Um órgão que, quanto mais estudo, mais me apaixono… Ele cabe na palma de nossa mão, pesa em média 1.300 gramas, mas seus neurônios conseguem fazer mais combinações que o número de átomos existentes no Universo…É aí, dentro deste órgão, que tudo acontece e, por consequência, a ciência já comprovaa poderosa influência da mente sobre o corpo.

Entretanto, vemos grande parte da humanidade na contramão deste raciocínio, direcionando a maior parte do foco no corpo, na beleza física, no material, como se quiséssemos resolver os problemas de uma árvore corrigindo ou cuidando apenas de suas folhas.

Assim como nosso corpo físico tem seus órgãos, nossa mente também tem: são as emoções, órgãos do nosso corpo psíquico. Portanto, sentimentos ou pensamentos negativos, palavras sufocadas, situações mal resolvidas, frustrações, mágoas, traumas e tantos outros conflitos não geram apenas desconforto ou então stress. O assunto é mais sério. A cada situação não resolvida em nossa mente, uma bola de neve com poder devastador, começa a ser gerada e com o passar do tempo vai encontrando algum endereço no corpo para iniciar seu ataque, culminando no que damos o nome de “doenças psicossomáticas”. Entenda que o estado de nossa saúde como um todo estádiretamente ligado ao nosso estado mental.

Portanto, manter uma vida saudável fisicamente (atividade física, alimentação, sono, regras, cuidados, etc.) é muito importante, mas se você cuidar de tudo isso, mas não cuidar da mente, certamente vai adoecer.

Raiva, alegria, medo, paixão, tristeza e uma série de emoções mal elaboradas no passado ou desequilibradas no presente, de forma consciente ou inconsciente, causam alterações em todo o organismo, como, por exemplo, liberando ou inibindo a produção de substâncias como adrenalina, cortisol e serotonina. Estas experiências ficam guardadas dentro de nós e refletem no nosso corpo. Da mesma forma, situações mal resolvidas em nossa mente (conflitos) podem causar uma série de doenças, de leves até fatais, todas já catalogadas pela ciência e alertadas pela OMS (Organização Mundial da Saúde).

Aos poucos, as pessoas estão buscando mais informação a respeito do gerenciamento das emoções e procurando ajuda na terapia, fazendo uma limpeza no “lixo” interior, buscando um encontro consigo mesmas e ressignificando pontos que as estão impedindo de ter ou realizar sonhos, com qualidade de vida e protagonismo.

O corpo (e a situação em que se encontra nossa vida) são consequências da forma como pensamos. Pensamentos geram sentimentos, que geram ações. Portanto, céu ou inferno são criados pelos nossos pensamentos. Precisamos aprender a nos conhecer melhor, tendo um bom relacionamento conosco e com os outros. Nos amar de verdade, sendo mais compreensivos e tolerantes. Diminuir críticas, exigências e aumentar o acolhimento, a evolução interna. Curtir o que temos, no presente, nos entusiasmando com a vida, mudando nossa perspectiva sobre nós e os outros.

Finalizando, vale lembrar uma frase de Jung, que, antecipadamente, previu com sabedoria o diagnóstico do principal causador da infelicidade humana:

“Nascemos originais e morremos cópias”.

Que tal contrariar esse pensamento de Jung?

Leia Mais:

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

7 + dezenove =