A sabedoria encanta!

Numa reunião entre executivos nos EUA, mesmo que os assuntos tratados sejam tensos, ao final da reunião tudo volta ao
normal e eles vão almoçar ou jantar, juntos e tranquilos, como se nada tivesse acontecido. Que lição podemos tirar disso! Na verdade, o segredo é que eles entendem que pessoas, posições e problemas são coisas totalmente distintas e devem ser tratados com responsabilidade e maturidade. Lá, e em outros lugares desenvolvidos do Planeta, o “lado pessoal” é gerenciado com sabedoria.
Na América Latina, e em nosso caso, no Brasil, as coisas não são bem assim. Não que os EUA e outros sejam perfeitos nesse tema, mas estão bem mais evoluídos que nós e não é por acaso que são desenvolvidos. Como o “lado pessoal” tem influência (onde não deveria) por aqui. Quantos são rejeitados e desonestamente injustiçados por conta do tema de hoje, em famílias, amizades, empresas, instituições, igrejas, enfim, em todo lugar onde haja “ser humano”. Mas quem perde? As próprias famílias, as empresas, as amizades…
Caso você esteja passando por um momento assim, ou ainda não superou, quero lhe ajudar com algumas informações curadoras, mas você precisa acreditar e agir em consonância com isso, porque sua vida certamente vai mudar e você vai se
surpreender com você mesmo! Não se importe quando alguém
te rejeitar ou ignorar. Evite a mania de achar que “você” é sempre o culpado. Sendo racional e realista, você vai acreditar mais em você. Pense: precisa ser culpa sua o fato de alguém não gostar de você ou não aprovar alguma atitude sua? Podem
existir razões fora do seu controle…
E essa pessoa? É Deus? É a perfeição? Ela tenta ou tentou te ajudar, pelo menos? Pode ser que ela não tenha personalidade própria, não tenha educação, experiência ou até o conhecimento e a maturidade necessária para lidar com aquela situação;
e pode também ser que o “lado pessoal”, junto com a inveja, raiva, não aceitação ou outros sentimentos autodestrutivos estejam, infelizmente, dominando.
Seja você, antes de tudo. Adaptar-se a um relacionamento, a um emprego ou a qualquer coisa, é deixar-se, deixando de se amar. Se você não agrada, não “compre” esse problema. Se alguém não tem a capacidade de lidar com dificuldades e diferenças de forma responsável e madura, procurando soluções positivas e não decisões intempestivas, definitivamente essa relação (pessoal ou profissional) não deve ser bem-vinda à sua vida.
Você não precisa ser o comportamento “daquele” momento ou daquela fase. Quantos profissionais maravilhosos e grandes resultados, por exemplo, são “perdidos” por empresas que têm, em seus quadros, gestores com esse nível profissional e emocional tão sofrível.
Valorize as pessoas que te aceitam como você é e têm postura proativa e colaborativa com você, porque, quando isso acontece, elas (as sábias) te ajudam a acreditar em você mesmo e isso sim evolui, desenvolve.
Quanto ao resto, fi que tranquilo, porque o Universo respeita a Lei do Retorno e vai fazendo a parte dele no tempo certo: “Os homens agem sobre o mundo, modificando-o e são, por sua vez, modificados pelas consequências de sua ação”. (B. F. Skinner)
Esta frase vai separando a sabedoria da ignorância e trazendo as respectivas consequências. Portanto, a partir de agora, fi que atento e junte-se aos sábios!