A trajetória do fitness: Educadora física mostra como esse universo se tornou tendência

Foi somente nos últimos anos que as academias se popularizaram em todo o Brasil. Período em que as pessoas despertaram para a conscientização quanto ao estilo de vida são recentes. Porém, este hábito de praticar a musculação é algo muito mais antigo, tendo origem ainda na Grécia Antiga, explica a educadora física e nutricionista Sue Lasmar.(Fotos Divulgação / MF Press Global)

Desde o início do século XXI, o mundo experimenta um boom no culto ao corpo, comportamento que pode explicar boa parte da popularização do universo fitness. Por outro lado, os primeiros relatos sobre malhação e corpos esculpidos são conhecidos desde a Grécia Antiga, onde os primórdios dos Jogos Olímpicos deram base às primeiras práticas da musculação e aos primeiros locais propícios às práticas. 

Esse Culturismo fomentado na época declinou com a chegada da Idade Média, onde a evolução quanto às práticas corporais pouco aconteceram. “Esse culto ao exercício retorna à história apenas no século XIX, com as práticas higienistas. A musculação era vista como uma ferramenta de força, saúde, robustez e harmonia. Uma clara oposição aos corpos flácidos e doentios do colonial”, explica a educadora física e nutricionista Sue Lasmar, que não apenas estuda o universo, como vivencia diariamente o universo devido sua atuação como musa fitness. 

Na história da musculação, o ato de exercitar o corpo foi visto ainda como banal durante a Revolução Industrial, onde os trabalhos intelectuais eram mais valorizados. Além disso, Sue recorda, “a Igreja Católica também condenava essa prática por considerá-la um ato de vaidade”.

 Ponto de virada 

Nos anos que se sucederam, a musculação ainda não havia ganhado tanto prestígio. Foi apenas em 1939, quando ocorreu a regulamentação do Culturismo feito pela American Athetic Union, que os indivíduos começaram a enxergar a prática com mais credibilidade. O fisiculturismo, por exemplo, veio a ser reconhecido como esporte apenas em 1946. Mas, no Brasil, a musculação só se tornaria uma “febre” somente a partir da década de 1980, conta Sue Lasmar.

“No Brasil, academias como as que se conhece atualmente, só vieram a se popularizar com ajuda de elementos da cultura pop como filmes e celebridades. Um exemplo é o corpo de Madonna que se tornou o desejo do momento”. Além disso, ela destaca, “a introdução do aeróbico e a abertura econômica que facilitou a importação de equipamentos foi que deu o puxão final para que academias se tornassem lucrativas e mais democráticas”, destaca a educadora física. 

Desde o início do século XXI, as mudanças de comportamento acerca da importância de um estilo de vida saudável, o desejo por uma estética mais chamativa, assim como a introdução das redes sociais como impulsionadoras deste universo, foram fatores que trouxeram a prática para as tendências: “O mundo fitness cresceu muito por conta da busca das pessoas por uma vida mais saudável, justamente por conta de todas as doenças que existem atualmente. Por isso acredito que as pessoas estão buscando viver uma qualidade de vida melhor, comer alimentos mais saudáveis também, o que fez gerar este crescimento”, define Sue Lasmar.

 Além disso, Sue reforça que a questão estética também é determinante para este crescimento: “Sim, também acredito muito que as pessoas estão buscando uma estética melhor, desejando ter uma aparência mais saudável e, principalmente, ter a saúde em primeiro lugar”, finaliza.

Importantes nomes da história do fitness 

Ronnie Coleman: Fisiculturista norte-americano, detentor do recorde de oito títulos consecutivos de Mr. Olympia 

Arnold Schwarzenegger: Ator e fisiculturista com importante participação na popularização das academias por meio de seus filmes.  

Dorian Yates: Revolucionou o fisiculturismo na década de 1990.

Da Redação

LEIA MAIS:

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

dois × 5 =