Acusado de matar topógrafo com requintes de crueldade é preso

Homem foi levado para a Deic (Divulgação/Deic)

Policiais civis da 3ª Delegacia de Homicídios da Deic (Divisão Especializada de Investigações Criminais) prenderam um homem acusado de matar o topógrafo Osmir Nunes Santana, que tinha 37 anos, em 8 de janeiro de 2019, na região de Santa Teresinha.

A vítima foi atingida com um disparo de calibre nove milímetros na cabeça, teve uma mão cortada e corpo parcialmente carbonizado. O suspeito que teve o mandado de prisão preventiva decretado pela Vara da Júri de Piracicaba, foi localizado ontem, em sua residência, no Parque Orlando 2. Ele nega a autoria do crime.

Um dos policiais civis que atuou na investigação relatou que na época, Santana teria se envolvido com a namorada do suspeito. Eles chegaram a se desentenderem

INVESTIGAÇÃO

“Desde a época do crime, o acusado já estava sendo investigado como o principal suspeito no crime. Foi solicitado o mandado de prisão temporária na Justiça, mas na época foi negado. Continuamos intensificando as investigações, fizemos outras diligências, novas pessoas foram ouvidas e conseguimos outros indícios de sua autoria. Foi solicitada novamente, agora, o mandado de prisão preventiva, que desta vez foi decretada”, informou o policial.

Ele relatou ainda que na época do crime, o suspeito foi ouvido e negou a responsabilidade no crime.“O acusado continua negando a sua autoria no crime”, completou o investigador.

De acordo com o policial, o suspeito foi localizado em sua residência, e não resistiu à abordagem policial. O acusado foi conduzido à sede da delegacia especializada, onde prestou depoimento à delegada Juliana Ricci, que coordenou a investigação sobre o homicídio. Depois, o acusado foi conduzido à carceragem e deverá ser transferido para alguma unidade prisional da região.

LEIA MAIS

Cristiani Azanha

[email protected]

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

20 − 2 =