Acusado de matar vizinho se apresenta à Polícia Civil

Acusado de matar vizinho se apresenta à Polícia Civil (Alessandro Maschio/JP)

O acusado de matar seu vizinho, Alecsandro Elder Brandão, 46, se apresentou nesta quinta-feira (19), na sede da Deic (Divisão Especializada de Investigações Criminais) e alegou legítima defesa.  O crime ocorreu, na Vila Sônia, no último domingo (15). Ele chegou ter o mandado de prisão temporária decretada pela Justiça, mas foi revogada, segundo o advogado José Silvestre da Silva.

O defensor relatou que seu cliente não teve a intenção de causar a morte da vítima. “Meu cliente tinha acabado de assistir uma partida de futebol, quando ouviu um barulho muito forte em frente de sua casa. Quando saiu, constatou que seu relógio de energia tinha sido destruído pelo vizinho que segurava uma marreta e também uma faca”, relatou o advogado.

Segundo ele, seu cliente alegou que o vizinho partiu em sua direção e ele pegou alguns instrumento que tinha em suas mãos, como uma pedra ou outro material e atingiu-o. Houve uma luta corporal entre eles, outras pessoas também teriam se aproximado e participaram da confusão. Meu cliente nega que agrediu a outra pessoa que acompanhava seu vizinho e também não soube relatar quem seriam as outras pessoas que participaram das agressões”, relatou.

O advogado alegou que na noite do crime foi até a casa da sua irmã que fica a quatro quarteirões de sua casa. “No dia seguinte, ele já nos procurou porque queria se entregar. Soubemos que ele teve o mandado de prisão temporária e pedimos que o juiz considerasse, pois ele tem bons antecentes, residência fixa e trabalho. Em nenhum momento fugiu”, completou.

Silvestre relatou ainda que uma testemunha informou que na noite do crime, o irmão de seu cliente foi visto no local. “O irmão do meu cliente também teve a prisão temporária decretada pela Justiça, mas conseguimos comprovar que ele nem estava na cidade, pois reside em Campinas. Ele não participou do ocorrido”, disse o advogado.

ARREPENDIDO

O advogado relatou que seu cliente está ainda muito abalado emocionalmente. “Em nenhum momento, teve a intenção da morte. Ele reagiu, após ser ameaçado. Meu cliente já tinha registrado outros boletins de ocorrência contra seu vizinho, que era considerado como problemático, pois causava perturbação de sossego, além de várias ameaçadas”, enfatizou o defensor.

A reportagem não conseguiu entrar em contato com os familiares da vítima.

LEIA MAIS

Cristiani Azanha

[email protected]

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

18 − 4 =