Adolescentes que vendiam drogas dentro de condomínio são apreendidos pela Deic

Policiais apreenderam maconha, cocaína, lança perfume e arma de brinquedo (Divulgação)
Policiais apreenderam maconha, cocaína, lança perfume e arma de brinquedo (Divulgação)

Dois adolescentes de 16 e 17 anos, que foram aliciados pelo tráfico de drogas foram apreendidos pelos policiais civis da 2a Dise (Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes) da Deic (Divisão Especializada de Investigações Criminais). Eles foram localizados nesta sexta-feira (10), no Condomínio Vida Nova 3. Um rapaz de 22 anos, que também teria ligação com o tráfico, foi preso. Com eles foram apreendidos um tablete pequeno de maconha,128 porções de maconha, 120 microtubos de cocaína, uma garrafa com lança perfume, carregador de pistola 9mm, R$ 59, anotações com a suposta contabilidade do tráfico de drogas. Balança e material de embalagem, além de uma réplica de pistola.
A investigação partiu de uma informação que recebida pelos policiais de que no interior do condomínio ocorria o tráfico de drogas. Durante os trabalhos velados, constatou-se de fato movimentação típica de comercialização de entorpecentes.Foi elaborado o relatório de investigação narrando minuciosamente os fatos observados. Os policiais conseguiram, posteriormente, o mandado de busca e apreensão que foi cumprido, por volta das 7h.
Com o apoio das equipes da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) e GOE (Grupo de Operações Especiais) da Deic e UIP (Unidade de Inteligência Policial) do Deinter-9 (Departamento de Polícia Judiciária do Interior) localizaram os suspeitos, o rapaz e os dois adolescentes. Todos foram encaminhados para a sede da delegacia especializada, onde o maior foi autuado em flagrante sob acusação de tráfico de drogas. Ele permaneceu preso até ser apresentado à audiência de custódia.
Os adolescentes foram apreendidos provisoriamente até serem encaminhados à Vara da Infância e Juventude para acompanhamento do caso.
Os entorpecentes e materiais apreendidos serão encaminhados para análise do IC (Instituto de Criminalística). A investigação continuará a ser realizada pela Polícia Civil na tentativa de identificar outros envolvidos.

Cristiani Azanha
[email protected]