Advogada é acusada de levar droga sintética em presídio

Mulher teria passado entorpecentes para os sentenciados durante atendimento jurídico (Divulgação/SAP)

Uma advogada de 64 anos foi acusada de entregar a maconha sintética K4 para dois sentenciados do CPP (Centro de Progressão Penitenciária Profº Ataliba Nogueira, em Campinas, na manhã desta segunda-feira (26). Segundo a SAP (Secretaria da Administração Penitenciária), a profissional foi surpreendida, após entregar entorpecentes para dois presos. A mulher foi até à unidade prisional para fazer atendimento jurídico, mas quando os sentenciados saíram da presença da advogada,  foram flagrados pelos servidores com droga sintética K4. Ao serem questionados, os homens confessaram que os entorpecentes haviam sido entregues pela advogada. Após o ocorrido, a Polícia Militar revistou o táxi em que a mulher estava e encontrou mais droga K4 na bolsa dela. 

Os ilícitos encontrados e a profissional foram encaminhados à delegacia permaneciam à disposição da Justiça, já os presos responderão Procedimento Disciplinar e perderão o direito ao regime semiaberto. 

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

dezoito + 3 =