Alongamento de unhas: quais os procedimentos e seus cuidados

Foto: Pexels

Seja na escolha pelo acrílico, gel ou fibra de vidro, unhas precisam de uma boa manutenção, sempre!

Colorir unhas para muitas mulheres é como uma ou até “terapia”, pois é um momento de se cuidar e se divertir escolhendo as cores que tipo de arte pode fazer nelas.Por ser uma atividade bastante comum, principalmente, entre mulheres as unhas estão sempre seguindo as tendências e novidades são muito bem-vindas.

Acompanhar as novidades do mundo das manicures é algo muito importante para as artistas de unhas e assim evitar ter unhas cafonas. Dentre as tendências, o alongamento de unhas é o que mais chama atenção junto dos strass adesivos (um conjunto de materiais que imitam diamantes de uma forma bem barata). Atualmente existem três tipos de alongamento para as unhas. Os materiais usados são: gel, fibra de vidro e acrílico.

Antes de continuar a falar destes materiais é importante ressaltar que, além da questão estética, saber o que você vai colocar na unha é crucial para que, além de lindas, elas permaneçam saudáveis. É importante conhecer cada técnica, a condição atual das unhas e fazer as manutenções adequadamente para não ter danos, como: fungos, bactérias, unhas quebradiças, opacas e manchadas.

Avisado esses cuidados prévios saiba como funciona a aplicação dos três tipos de unhas que mais estão se usando:

Unhas de gel: são aplicadas em cima das unhas naturais e endurecidas por meio de uma cabine que emite calor. Normalmente, são utilizadas por quem já considera ter um tamanho bom de unha, mas quer deixá-las mais definidas.

Fibra de vidro: as fibras de vidro têm seu processo de aplicação muito semelhante às de gel, mas por ser um outro material, tem aspecto mais natural. Essas são mais indicadas para quem tem unhas muito curtas e deseja aumentá-las.

Acrílico: utiliza-se um pó acrílico que deve ser moldado nas unhas naturais, esta opção é mais utilizada por quem tem as unhas quebradiças ou danificadas.

Há risco em alongar as unhas?

“Existem riscos, mas também existem cuidados que podem ser tomados para mitigá-los. O cuidado com a escolha do melhor profissional e da melhor técnica para a sua unha, é um dos mais importantes. Tem também o cuidado rotineiro com a secagem completa das mãos para evitar umidade nas unhas. O cuidado com a recorrência correta das manutenções exigidas por qualquer uma das opções de alongamento citadas, pois, caso essas manutenções não sejam cumpridas, há um risco muito maior de haver infiltração, e, portanto, contrair fungos e bactérias que podem evoluir para um dano mais intenso”, explica a dermatologista Ana Lisia Giudice.

Caso aconteça esse problema, um medicamento antifúngico em esmalte é o mais recomendado, sendo o produto que possua o princípio ativo chamado Amorolfina, pois este elimina o fungo causador da micose e protege contra a sua disseminação.

Além dos cuidados já citados, “é válido ressaltar que é fundamental fazer algumas pausas e deixar as unhas sem nenhum tipo de alongamento para evitar que elas se tornem quebradiças e finas” afirma a dermatologista. No entanto, durante esta pausa não é necessário ficar com as unhas descuidadas, sem cores e formatos, você pode cuidar das suas unhas do jeitinho que elas são.

Larissa Anunciato
[email protected]

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

três − dois =