Alunos da rede estadual ficam sem a prova do Saresp

Saresp de 2020 está suspenso devido à pandemia | Foto: Amanda Vieira/JP

Com um ano letivo fragmentado com aulas à distância e pouco controle de professores e direção sobre o aprendizado do aluno neste período da pandeia (em que o ensino presencial está suspenso), a tradicional prova do Saresp (Sistema de Avaliação do Rendimento Escolar do Estado de São Paulo) foi suspensa este ano, pela primeira vez desde quando foi implementado pela Secretaria Estadual da Educação, em 1996.

Sem o Saresp, a solução foi criar a chamada avaliação diagnóstica, com apenas questões objetivas de matemática e português. Como conta Henrique Pimentel, subsecretário de articulação regional, a primeira fase desta prova acontece de 7 a 18 de dezembro e, na rede estadual em Piracicaba, a maioria das escolas aplica de forma presencial. “Com distanciamento social e número reduzidos de alunos. Algumas inclusive realizam a avaliação ao ar livre, no pátio”.

Neste primeiro momento, destaca Pimental, a intenção do Estado é avaliar o desemprenho dos alunos – do 1º do Ensino Fundamental ao 3º do Ensino Médio – matriculados na rede e, no começo de janeiro, uma nova prova será aplicada. “Novamente com os alunos da rede, mas também com os alunos transferidos da rede privada e da rede municipal”.

Sobre a ausência das demais disciplinas nesta avaliação substituta ao Saresp, o subsecretário disse apenas que a intenção é “avaliar o básico”, diante de um ano atípico. Sobre a não realização do Saresp, Pimental rechaça o impacto negativo. “Primeiro diante da dificuldade em avaliar alunos que aprenderam de forma desigual, cada aluno lidou de sua maneira esta nova forma de ensino”.

Ele também sugere que o resultado, caso aplicado, seria abaixo de um nível mínimo, perante as condições apresentadas. “Impactaria na série histórica da avaliação”, afirma. Além disso, falou da dificuldade que seria aplicá-lo num mesmo dia, num mesmo local para cada escola.

Os resultados de todas as atividades de avaliação, contextualiza Pimentel, ficarão disponíveis em uma plataforma digital, em que equipe gestora, professores e alunos terão acesso. “A devolutiva dos resultados será qualitativa e vai mostrar, por exemplo, o progresso dos estudantes em cada uma das atividades, considerando as habilidades avaliadas. Deste modo, ações pedagógicas podem ser mais focadas na recuperação e aprofundamento”.

Erick Tedesco

Leia mais

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

dezoito − 5 =