Ao Mestre com carinho

Foto: Arquivo/JP

Uma das lembranças que guardo com maior carinho da adolescência foi a minha passagem pelo Colégio Luiz de Queiroz (CLQ) na década de 80. Foi nesse ambiente propício para a Educação que tive a oportunidade de conhecer o então professor de Português, Antonio Carlos de Mendes Thame, um visionário que, ao lado de tantos outros professores, sonhava em mudar o mundo através da Educação.

Ao saber do seu falecimento, fiquei pensando em quantos alunos devem ter sido influenciados por ele. De fala tranquila, pausada além do notável conhecimento da Língua Portuguesa e seus meandros, Thame sabia ministrar uma aula como ninguém, cativando a atenção de toda classe, sem jamais perder de vista os sonhos que permeavam a cabeça de cada adolescente.

Não seria errôneo dizer que muitos advogados, professores, juízes, engenheiros, médicos e arquitetos que hoje brilham em suas profissões, não só em Piracicaba mas por todo o mundo, foram estimulados pelo seu exemplo didático e de todo o corpo docente do CLQ.

Acredito que o Thame nunca abandonou o seu tom professoral, mesmo exercendo a carreira política por tantos anos, como deputado por 7 mandatos consecutivos. Sua liderança nata sempre se manifestou, seja na fundação do Partido Social da Democracia Brasileira (PSDB) ou como deputado com atuação destacada na elaboração da Constituição Brasileira entre os anos de 1987 e 1988.

Importante destacar que muito do que colhemos hoje, sobre a preservação do Meio Ambiente, foi semeado por Thame, quando secretário de Recursos Hídricos do Estado e como primeiro presidente do Comitês das Bacias Hidrográficas Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ).

Nesta caminhada, preciso destacar também a presença de Nancy Ferruzzi, sua esposa e fiel companheira de lutas, que hoje tenho o privilégio de contar no meu governo como Secretária de Agricultura e Abastecimento (SEMA) a quem aproveito para transmitir minhas condolências.

Como prefeito de Piracicaba, o nosso eterno professor, também se destacou, implantou os Clubins, que ofereciam atividades para crianças no contraturno escolar e atendiam mais de 5.000 crianças, além de ampliar o número de vagas para crianças nas escolas e asfaltou diversos bairros. Penso que Thame está no mesmo panteão de outros notáveis como Luciano Guidotti, Luiz Gonzaga Dias, SalgotCastillon e Cássio Paschoal Padovani.

Lembrei ainda de um fato ocorrido em 1984, durante nosso baile de formatura do colegial, realizado na sede do Banco do Brasil. Como presidente da comissão de formatura coube a mim fazer o discurso de encerramento do ano. Esperei pacientemente que os convidados fizessem silêncio e então fiz o uso da palavra. Aquele foi um dos melhores discursos da minha vida. Quando acabei, Thame veio me cumprimentar de maneira efusiva. “Parabéns Luciano, você tem um poder de persuasão muito grande. Quem sabe se no futuro você não será prefeito de Piracicaba”.

Essa passagem, adormecida em minha mente, veio a tona depois de tanto tempo e só me fez encher de uma responsabilidade ainda maior, diante de um vaticínio tão especial que teve o tempo como única testemunha.

Termino este artigo homenageando com carinho o antigo mestre. Que o seu legado de conduta ilibada, amor à profissão e ética em todas as esferas da vida se perpetuem em cada um de nós como um caminho de esperança a ser seguido. Descanse em paz, professor Thame.

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

um × cinco =