Aos vencedores de 2020

Foto: Pexels

Adolpho Queiroz, é Secretário Municipal de Cultura

O dia 29 de novembro de 2020 foi um marco importante para a história política da cidade e, naquele dia, pela vontade majoritária da população, um novo prefeito assumiu o comando das ações políticas de nossa cidade. Luciano Almeida formou sua equipe e tem por dever constitucional dali por diante, definir as ações que julgar adequadas para a melhoria da prestação dos serviços públicos à sociedade em todas as áreas.

Esse importante gesto democrático da sociedade piracicabana, concedeu ao prefeito e seus secretários, o direito constitucional de pensar novos projetos para arejarem a cidade. No meu caso, a construção de um novo Engenho da Cultura, para abrigar em espaços até aqui sem utilização plena – e sem umidade – e dar vida nova a espaços públicos que carecem de visitação e encarecem o erário para o desenvolvimento das suas atividades. Quer seja do ponto de vista de sua manutenção, dos salários que paga aos servidores, para o oferecimento de uma contrapartida justa aos que pagam impostos que sustentam as referidas atividades.

A ideia de levar para o Engenho da Cultura espaços públicos com pouca visitação, procura e demanda, nasce justamente deste conflito de ideias, e modelos ultrapassados de gestão, entre outras a serem enfrentadas para a modernização de vários setores dos serviços públicos em nossa cidade. Nunca houve, pelo que me lembre, até aqui, uma resistência, por exemplo, quando a biblioteca pública mudou seis vezes de lugar. Ou quando a pinacoteca, pelos livros de registros visitantes, tenha recebido pouco mais de cem pessoas em apenas três dias do ano, ao abrir suas portas para os seus salões.

Tais espaços, com suas mudanças para o Engenho sinalizam justamente o contrário do que pregam pessoas especializadas, ao longo das suas vidas, em jogar pedras em vez de catá-las e construírem algo importante para a cidade. Os espaços que forem disponibilizados, permanecerão públicos e terão os compromissos de continuarem servindo a população.

Os equipamentos de cultura que forem para o Engenho terão, de cara, mais dois dias por semana abertos ao público, nos finais de semana, o que não praticam nos dias atuais e sem as ações que proporcionaremos, dá ao nosso velho Engenho de 140 anos, trarão vida nova, alegria, espaços para reflexão, observação das artes e das letras,com novos projetos arquitetônicos. E com mais visibilidade para os respectivos acervos, que tem permanecido trancados, mal cuidados e distantes dos olhos da população.

O Governador do Estado, quando esteve em nossa cidade, já destinou R$ 800 mil para iniciarmos as reformas de um dos barracões, através de emenda a ser transformada em recursos nos próximos dias. A ela, somem-se outras emendas parlamentares de outros R$ 900 mil, destinadas, para reformas urgentes e necessárias na iluminação do Engenho e em aporte para o Salão de Humor. Só aí e temos quase 10% de acréscimo do nosso orçamento de R$ 16 milhões, em apenas seis meses de mandato. Isso representa a confiança do governo do Estado ao nosso governo. Que se soma a um acordo que deve trazer outros recursos através da iniciativa privada.

Aos que nunca lançaram livros na biblioteca e não sabem onde fica a reserva técnica a pinacoteca, nem estão entre os signatários dos presentes aos seus salões nos últimos anos; aos que nunca foram convidados a participar de juris de seleção, premiação, escrever prefácios dos livros e catálogos, que continuem a atirar pedras. Não me atingem, nem tiram o meu ânimo pelo trabalho. Sugiro aos meus-minhas leitores-as, que desdenhem esses argumentos. Estou ciente das minhas responsabilidades e irei cumpri-las, com a honra e dignidade de minha trajetória profissional e pessoal ao longo de mais de 50 anos de trabalho em prol da educação e da cultura desta cidade.

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

12 − 12 =