Apap e Semactur realizam 31ª Mostra Almeida Junior

Abertura da exposição será dia 03 de maio, na Pinacoteca Municipal (Foto: Divulgação/Semactur) Abertura da exposição será dia 03 de maio, na Pinacoteca Municipal (Foto: Divulgação/Semactur)

A Apap (Associação Piracicabana dos Artistas Plásticos), em parceria com a Semactur (Secretaria Municipal da Ação Cultural e Turismo) realiza neste ano a 31ª “Mostra Almeida Júnior”. O período de inscrições de obras para a mostra e concorrência no concurso acontece nos dias 13 e 14 de março, enquanto a abertura da exposição acontece no dia 03 de maio, às 20 h, na Pinacoteca Municipal “Miguel Dutra”.

As modalidades da competição são divididas em “Contemporânea”, estilo moderno e abstrato, no qual o artista retrata o que sente, ou “Acadêmico”, em que o pintor retrata o que vê. Nesta mostra, apenas os associados da Apap podem se inscrever.

As obras inscritas serão avaliadas por um juri técnico que e os nomes dos ganhadores serão revelados no dia 16 de março. O artista que tem interesse em participar da premiação deve escrever entre duas e três obras, enquanto quem inscrever apenas uma pode participar da mostra sem concorrer aos prêmios.

De acordo com Vera Gutierrez, vice-presidente da Apap, a importância da mostra está no empenho dos artistas. “A mostra exige trabalhos inéditos, o que instiga os artistas a trabalharem e desenvolverem suas produções”, afirma ao salientar que “a exposição também fomenta a cultura em Piracicaba”.

Os premiados levam para casa medalhas de ouro, prata e bronze (dependendo da colocação), ou um certificado de menção honrosa, para aqueles que se destacarem na competição.

O HOMENAGEADO

José Ferraz de Almeida Júnior foi um pintor e desenhista nascido em Itu, em 1850. Iniciou a vida artística ainda em sua cidade natal, onde cresceu e passou a receber o apoio do padre Miguel Correa Pacheco, tendo produzido algumas obras sacras para a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Candelária.

Inscreveu-se na Academia Imperial de Belas Artes, optando por manter-se no estilo realista. O imperador D. Pedro II, que se impressionou com a arte de Almeida e o ofereceu para pagar uma viagem de estudos à Europa.

Ao retornar ao Brasil, em 1882, Almeida Júnior realiza uma exposição solo na Academia Imperial, a abre seu próprio ateliê na capital paulista. Em 1899, foi assassinado em Piracicaba, em frente ao antigo Hotel Central, por seu próprio primo. Morre precocemente, aos 49 anos.

Mariana Requena