Segundo o especialista, um planejamento de prioridades é essencial para chegar em 2021 na melhor forma financeira possível. (Foto: Divulgação)

O ano de 2020 foi marcado pela pandemia da covid-19 e todos seus impactos sociais e econômicos. Dezenas de países enfrentam crises econômicas severas por causa das medidas preventivas contra o vírus, como o isolamento social e o ‘lockdown’, responsáveis por um baque econômico e um surto de desemprego. Não há dúvidas quanto a eficácia e necessidade das medidas, porém, as autoridades políticas precisaram intervir para que a economia não sofresse danos mais severos. No Brasil, os aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) receberam um adiantamento do 13º salário, onde as duas parcelas foram pagas entre 24 de abril e 5 de junho, ou seja, não será depositado nenhum abono durante o mês de dezembro, como ocorre normalmente.

O adiantamento do 13° salário para os pensionistas foi fundamental para quitação de dívidas e despesas emergenciais, mas deixou os aposentados sem o recurso em dezembro, um mês já famoso pelo aumento de gastos. O fim de ano é uma época marcada por celebrações que movimentam a economia. Tanto o natal quanto o réveillon são festas que dão um novo fôlego nos setores de alimentos, comércio e turismo. Vale lembrar que para os idosos, o custo de vida aumentou nos últimos meses. Segundo o IPC-3i (Índice de Preços ao Consumidor da Terceira Idade), divulgado pela FGV (Fundação Getulio Vargas), a inflação para esse público registrou alta de 1,93% frente a -0,03% no segundo trimestre. No acumulado dos últimos 12 meses, a inflação da terceira idade atingiu 4% e foi maior do que a da inflação oficial que chegou a 3,14%. Ou seja, os produtos destinados para a terceira idade estão mais caros do que para o restante a população.

“A pandemia do corona-vírus pegou todos de surpresa. Nos últimos meses, teve toda uma questão de alinhamento entre saúde e economia. A saúde é o principal, mas a economia jamais pode ser deixada de lado. A medida de adiantar a liberação do 13° salário foi correta, salvou muitas pessoas do sufoco. Mas e agora? Elas vão passar sufoco em dezembro? Não tem jeito e nem segredo, temos que segurar nas despesas e cortas os gastos desnecessários.” explica Ronaldo Gotlib, advogado especialista financeiro.

Segundo o especialista, um planejamento de prioridades é essencial para chegar em 2021 na melhor forma financeira possível: “Minha principal dica é: pague primeiro a dívida que tem a maior taxa de juros, como o rotativo do cartão de crédito. Juros são armadilhas que podem nos prender pelo resto da vida se não prestarmos atenção. Depois, focar no essencial, começando pela saúde. Para os idosos, que na maioria dos casos possui alguma pré-disposição que necessita de acompanhamento médico, o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece alguns tratamentos gratuitos, incluindo remédios para certas doenças, sempre é bom conferir se nossos gastos com remédios não são desnecessários. Caso o SUS não se aplique, remédios e tratamentos são fundamentais. É um investimento na nossa saúde que quando não efetuado, com toda certeza, será cobrado no futuro.”

Quanto as festas de fim de ano, Ronaldo também selecionou algumas dicas: “No natal, geralmente, a ceia tende a ser farta para toda a família. Então, nada mais justo do que dividir os gastos das compras. Em tempos de aperto financeiro, em 2020 mais do que nunca, precisamos de união, ajudando uns aos outros. Pedir dinheiro emprestado é um erro que se torna problema, dividir o que sé é usado por todos é apenas um ato justo, não se deve ter vergonha quanto a isso. E talvez a dica mais óbvia de todas, comemore em casa. Se você está com problemas financeiros, não existe motivo para se endividar mais ainda passando natal ou réveillon viajando. Estamos em tempo de cautela.”

Não existe um milagre que suma com todas as dívidas e, até a campanha de vacinação, teremos que enfrentar o corona-vírus diariamente. Mas não podemos jamais nos abater. A melhor forma de seguir com a vida, de forma consciente e livre de dívidas, é sendo atento ao nosso dinheiro, gastando-o da forma mais proveitosa possível. O final de 2020, infelizmente, não será dos mais tranquilos para os aposentados, mas seguir essas dicas pode ser uma ótima maneira de começar 2021.

Da Redação

LEIA MAIS:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

3 × quatro =