Após experiência em Tóquio, Diogo Soares tem foco total na França: ‘Agora é 2024’

Foto: Divulgação

Após debutar em 2021 com uma final olímpica, atleta da cidade planeja mais um ciclo de conquistas no esporte

O ano de 2021 foi inesquecível para a dupla Diogo Soares de Daniel Biscalchin. O atleta e técnico piracicabanos chegaram ao topo de suas carreiras com a ida do ginasta aos Jogos Olímpicos de Tóquio. A experiência “mudou a vida” de Diogo, como ele mesmo definiu. Não somente em termos esportivos, mas também em nível pessoal. Com outra “cabeça”, o ginasta agora só pensa em voltar à olimpíada, no caso a de Paris, capital francesa, já daqui a dois anos e meio.

“Eu voltei com a uma cabeça diferente do Jogos, o meu treinador também está com uma cabeça diferente e estamos focados na olimpíada de 2024”, diz, sobre seus objetivos para os próximos anos.

De fato, participar de um torneio da magnitude que é o maior evento esportivo do planeta faz o competidor pensar de maneira diferente, ou seja, em “outro patamar”. Atleta de ponta com apenas 19 anos, 15 dos quais dedicados ao esporte, ele sonha ainda evoluir muito na carreira e o desafio, a partir de agora, é manter-se entre os melhores.

“Até hoje eu não tenho palavras para explicar o sentimento que é tudo isso (Olimpíada). É uma mistura de sentimentos. Mas no geral, é sensacional você estar lá. A experiência é maravilhosa”, relata.

A “mistura de sentimentos” a que se refere também é o fato de não conseguir ter todos que sempre o apoiaram a seu lado nesse ano “mágico” por conta da pandemia, inclusive seu técnico, que não viajou com ele a Tóquio. “2021 foi um ano de desafios. Que testou nossa paciência, força de vontade e nosso amor ao próximo. Mas é o objetivo de todo atleta pisar na Vila Olímpica. Por esse motivo, foi um ano sensacional.”

Com a mente voltada à competições maiores, Diogo mira para este ano o Campeonato Mundial Adulto de Liverpool, na Inglaterra, uma competição inédita em sua carreira, onde buscará os melhores resultados para o país. “Acredito que a seleção irá mudar um pouco os atletas, até porque sempre ao final de um ciclo alguns entram e outros saem. Mas o objetivo é competir os campeonatos e trazer os melhores resultados para o Brasil e por equipes.”

DANIEL
O técnico Daniel Biscalchin também projeta um futuro de muitas conquistas para seu pupilo, mas sempre muito realista de que ele precisa evoluir muito ainda para ficar próximo das lendas do esporte. Biscalchin voltou a trabalhar com Diogo na última segunda-feira, 10.

“Para 2022, temos algumas competições, como a Copa do Mundo de Ginástica, o Campeonato Brasileiro Adulto, mas o mais importante, sem dúvida, será o Mundial”, enumera treinador, que endossa as palavras de seu atleta, ou seja, toda essa preparação, com as competições, tem ponto final a capital francesa. “Sempre focados para a olimpíada de 2024”, acrescenta o
treinador piracicabano.

Sobre os Jogos de 2021, o técnico disse que gostou da participação de seu atleta, que disputou as finais do individual geral e terminou entre os 20 melhores do mundo da ginástica artística. Sua lamentação, no entanto, é não estar junto com ele em Tóquio. “Ao mesmo tempo que eu tinha uma sensação incrível pela participação dele, tinha um pouco de tristeza e um pouco descontente por não estar junto com ele”, finalizou.

Erivan Monteiro
[email protected]

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

catorze − 3 =