Após morte de dono, cachorro é adotado por empresa de Piracicaba e volta a ter uma vida feliz

Foto: Maycon Barbon

O cachorro resgatado após a morte de seu dono, na madrugada desta quinta-feira (26), na Vila Monteiro, em Piracicaba (SP), volta a ter uma história feliz: ele foi adotado. A responsável por sua adoção é Jussara Sanches, dona de uma fábrica de vassouras, rodos e acessórios chamada Duplás.

Em entrevista ao JP, Jussara informou que já estava pensando em adotar uma cadela para trazer à fábrica. Ocorre que, durante as tratativas de adoção, a ela faleceu. “A cachorrinha já era idosa e infelizmente ela não resistiu. Nesse meio tempo, a Alessandra Bellucci apareceu desesperada procurando um lar para esse cão também idoso e eu decidi adotá-lo. Quando eu disse que ia ficar com ele, ela o trouxe aqui na fábrica para mim.” Jussara conta que batizou o cachorro de Hugo e lembra que, com a adoção, ele volta agora a ter um lar com muito amor.

“É um sentimento maravilhoso poder proporcionar essa alegria para ele”, finaliza.

HISTÓRIA — O cachorro foi resgatado depois que seu dono Roberto Góes, de 67 anos, veio a óbito na residência na madrugada desta quinta-feira (26). O caso ocorreu na rua da Paz, no bairro da Vila Monteiro, em Piracicaba.

O JP conversou com o guarda civil Levandoski, que atendeu a ocorrência. Ele informou que a GCM (Guarda Civil Municipal) foi acionada ao local, por volta das 07h, para prestar auxílio ao Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), visto que um idoso havia falecido dentro da residência. O idoso não possuía família, era acumulador e vivia somente com o cachorro.

Uma vizinha contou à guarnição que, por volta das 04h, conversou com o idoso e ele informou estar se sentindo bem. Já por volta das 04h30, os vizinhos decidiram averiguar as condições do homem, pois o cachorro não parava de latir dentro da casa. Foi aí que Roberto Góes foi encontrado morto dentro da residência, caído no chão.

Como o idoso era acumulador e trazia para casa muitas latinhas, ferros e sacolas, o imóvel teve que passar por um processo de higienização. “O local tinha muito rato, por isso o Matheus, da CCZ, precisou encaminhar uma equipe para realizar a limpeza do terreno”, contou Levandoski.

Após todos os trâmites legais realizados no local, a protetora dos animais Alessandra Bellucci foi até a residência, acompanhada de Matheus Santos,, coordenador do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses), e resgatou o cachorro. O animal foi tratado e, posteriormente, encaminhado a Jussara Sanches, que o adotou.

“Nós nunca sabemos quando vamos partir, nunca sabemos quando será o último jantar, o último passeio, o último afago. Ele se foi, mas seu fiel amigo de 10 anos ficou”, escreveu Bellucci em sua rede social, logo após o resgate.

Rafael Fioravanti | [email protected]

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

um × 4 =