Aposentada reclama de falta de medicamento

A aposentada Neuza de Souza Galzerano, 69 anos, reclama de estar sem o medicamento Tacrolimo de 1 mg. O remédio é usado por pacientes que passaram por transplante de rim e, segundo a moradora do Nova Piracicaba, está em falta na farmácia de alto custo desde o mês de maio.

Além de estar sem o medicamento, a aposentada lamenta a falta de previsão para chegada, conforme informações dos funcionários da unidade municipal. Neuza disse que utiliza o medicamento há cerca de oito anos, quando recebeu um rim doado pelo irmão. “A cirurgia foi feita em 16 de outubro de 2013, na Beneficência Portuguesa, em São Paulo”, acrescentou. A aposentada disse que já tomou outro medicamento indicado pelos médicos, o Everolimo, que também evita a rejeição do órgão transplantado. Ela disse que o remédio não é encontrado em farmácias e não tem ideia do custo do medicamento.

O Tacrolimo é um imunossupressor que precisa ser tomado pelo resto da vida, para que o órgão doado não seja rejeitado pelo organismo. “São remédios que devem ser tomados diariamente por causa da rejeição do órgão”, afirmou acrescentando estar preocupada com a falta e com o comprometimento do tratamento. A assessoria de imprensa da Secretaria de Saúde de Piracicaba informou ontem que o medicamento será entregue pelo Governo do Estado, via DRS-10 (Departamento Regional de Saúde), nos próximos dias. Segundo informações da pasta, ‘assim que estiver disponível, o paciente será avisado’. O telefone da farmácia de alto custo é 3422-3151.

Beto Silva

[email protected]

Leia Mais:

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

1 + dez =