Arrecadação de multas de trânsito cai 32% no primeiro semestre

Valor arrecadado é usado para manutenção da sinalização horizontal, vertical e semafórica (Foto: Amanda Vieira/JP)

A arrecadação de multas de trânsito pela Prefeitura de Piracicaba no primeiro semestre deste ano caiu 32% com relação ao mesmo período de 2019. De acordo com as informações do Portal da Transparência, nos seis primeiros meses o total arrecadado pela administração municipal, foi de R$ 6,241 milhões ante os R$ 9,205 milhões que foram pagos no primeiro semestre do ano passado.

Nestes valores estão também os totais das multas do estacionamento rotativo. Em 2019, o valor arrecadado com a falta de pagamento da Zona Azul, nos seis primeiros meses do ano foi de R$ 93,289 mil.

Já neste ano, o valor arrecadado pela prefeitura com essa modalidade de infração, chegou a R$ 77,134 mil, o que mostra uma queda de 17%.

Em maio, o secretário Jorge Akira, responsável pela Semuttran (Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte), atribuiu a queda na arrecadação às deliberações do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), que suspenderam os prazos de imposição de penalidade por conta da pandemia de covid-19.

Com a suspensão, os contribuintes deixaram de recolher valores de multas no ato do licenciamento. Na ocasião o secretário disse que a queda na arrecadação pode comprometer alguns dos serviços desenvolvidos pela pasta.

“Vamos acompanhar mensalmente, mas poderá impactar. Estamos fazendo um planejamento para que se houver necessidade, façamos a readequação e diminuição das ordens de serviço”, admitiu à época.

Entre as ações realizadas pela Semuttran com recursos das infrações de trânsito estão a manutenção da sinalização horizontal, vertical e semafórica, compra de veículos, combustível, fiscalização eletrônica e monitoramento por câmeras, correios, obras no sistema viário e uniforme dos agentes, entre outras despesas.

RETOMADA CFC
O Detran-SP (Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo anunciou que vai voltar a aplicar as provas de direção em todo o Estado a partir da próxima segunda-feira para alunos que tiveram o processo de habilitação interrompido durante o período de quarentena.

Os CFCS (Centros de Formação de Condutores) precisam fazer agendamento prévio pelo sistema e-CNH. O Conselho Nacional de Trânsito alterou de 12 para 18 meses o prazo para conclusão do processo de habilitação.

Beto Silva