Mudança tem sido solicitada pela comunidade trentina desde o anúncio da concessão (Foto: Amanda Vieira/JP)

A Artesp (Agência Reguladora do Transporte do Estado de São Paulo) admitiu a possibilidade de rever a instalação do pedágio no quilômetro 180 da rodovia SP-308 (Hermínio Petrin), que liga Piracicaba a Charqueada. A decisão surgiu durante reunião com a Câmara de Vereadores, que sugeriu estudos para que a praça seja instalada no quilômetro 182, mais 250 metros.

A sugestão do novo trecho foi apresentada anteontem em reunião por videoconferência entre os diretores da Artesp, dez parlamentares de Piracicaba, um vereador de Charqueada e do deputado estadual Roberto Morais (Cidadania), e do representante dos bairros Santana e Santa Olímpia, Valdemar Correr.

A agência informou ontem que, com a assinatura do contrato com a Eixo SP – empresa executora da obra – há a possibilidade de ser alterado o local da praça, no entanto, a mudança depende de estudos técnicos que apontem a adequação da nova localidade.

Para o presidente da Câmara, Gilmar Rotta, a postura da Artesp é sensata. “Em nome da Câmara, agradeço os diretores por entenderem o nosso clamor, que é também o das comunidades de Santana e Santa Olímpia. A Câmara está atenta à demanda dos dois municípios, Piracicaba e Charqueada. Daremos o prazo para que façam o estudo e, assim que estiver pronto, teremos uma nova reunião”, disse.

O deputado Roberto Morais disse que está atento às discussões. “Sou da Comissão de Transportes da Alesp e fui o único deputado presente no movimento das comunidades. A praça de pedágio nas proximidades de Santana e Santa Olímpia provocará aumento de caminhões de lenha e treminhões das usinas de cana. Os bairros seriam destruídos em meia hora”, declarou.

Nesta semana, a diretora de assuntos institucionais da Artesp, Renata Dantas, já havia informado que, com a assinatura do contrato, a agência e a empresa discutiriam a possibilidade de mudança.

MANIFESTO CONTRA
O Sindicond (Sindicato dos Condomínios), que abrange 632 municípios do Estado, está lançando um manifesto público contra a construção de mais 16 praças de pedágios no Estado. E prepara uma ação para barrar a concessão na Justiça.

Segundo a entidade, Serão impactados 251 municípios ou 39% do Estado. Nessas cidades existem 3.167 condomínios, onde residem 164.684 famílias ou 658.736 pessoas.

A assinatura do contrato entre o governo do Estado e a concessionária Eixo SP por R$ 1,1 bilhão prevê a concessão do lote PiPa (Piracicaba-Panorama).

Os 1.273 quilômetros de estradas abrangem 12 rodovias, cortando 62 municípios do Estado. Parte estava sob a responsabilidade do DER (Departamento de Estradas de Rodagem). A nova concessionária assume em junho.

De acordo com o sindicato, o sistema já conta com cinco praças em funcionamento, que eram administradas por outra concessionária. Portanto, a nova concessionária administrará 21 praças. “As tarifas devem ser anunciadas daqui 12 meses, após execução de obras nos trechos, quando poderá começar a cobrança”, afirmou o Sindcond.

Beto Silva

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

16 − onze =