Artistas de Piracicaba na Festa dos Batuques Paulistas

Mayra Camargo. Foto: Isabela Borghese

Programação tem shows, lives e bate-papos; com transmissão virtual e gratuita

Com o objetivo de unir artistas contemporâneos e as tradições caipiras de origem afrobrasileira presentes no interior de São Paulo, acontece entre os dias 3 e 6 de junho e também entre 10 e 13 do mesmo mês a Festa dos Batuques Paulistas, que apresentará shows, lives em comunidades e rodas de prosa pelo Youtube (https://www.youtube.com/channel/UCNFHLIn6gnja2s2oHWbSTQw). Entre as uniões promovidas pelo projeto, estão Rincon Sapiência com comunidades do Samba de Bumbo, MC Tha com o Jongo Dito Ribeiro (Campinas) e Anelis Assunção com Batuque de Umbigada (Capivari, Piracicaba e Tietê). Emicida estará numa roda de conversa inspirada pelo conceito do neosamba, presente no documentário AmarElo. O encerramento terá a cantora Lenna Bahule, de Moçambique, acompanhada pelo grupo local Associação Cultural Hodi.

Entre as atrações do evento está o Samba de Lenço Mestre Tonho e o Batuque de Umbigada de Piracicaba. Também está confirmada a participação de diferentes artistas e pesquisadores da cidade, como Antonio Filogenio Junior, Andréa Martins e Mayra Camargo.

As transmissões acontecem no canal do Youtube oficial do projeto (Festa dos Batuques Paulistas). A iniciativa foi contemplada pelo Proac LAB e é apresentado pelo Ministério do Turismo, Secretaria Especial da Cultura e Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa.

Participam da iniciativa artistas e grupos de tradição cultural como Samba de Lenço Mestre Tonho (Piracicaba), Samba de Bumbo Nestão Estevão e Jongo Dito Ribeiro (Campinas), Batuque de Umbigada (Capivari, Piracicaba e Tietê), Jongo do Tamandaré (Guaratinguetá), Samba de Roda da Dona Aurora (Vinhedo) e Samba de Bumbo do Cururuquara (Santana de Parnaíba).

A programação será aberta com uma intervenção poética de Carlos Assumpção e Roberta Estrela D’Alva, seguida de uma roda de conversa sobre o lançamento do livro “Ngoma Chamou! Batuques em terreiros paulistas” com os autores, que são lideranças de cultura popular.

O projeto exibirá três lives em comunidades, em que os grupos de cultura tradicional se apresentam direto de suas casas ou em um espaço importante para a comunidade. “A formação dos grupos aconteceu em formato reduzido, com distanciamento adequado, seguindo os protocolos contra a Covid-19 e preservando as pessoas mais idosas ou de grupo de risco”, afirma Mayra Camargo, produtora do projeto.

As Rodas de Prosa ao vivo são outra atração. Serão cinco encontros virtuais com transmissão ao vivo pelo Youtube entre mestres, mestras, grupos de cultura e convidados para uma conversa sobre temas como os batuques paulistas, lideranças femininas na cultura popular e a importância da juventude na preservação das manifestações.

A programação reúne ainda festas virtuais, que acontecerão por meio de uma plataforma interativa e serão comandadas por DJs, além de uma feira virtual com produtos dos artistas e comunidades participantes.

PARCERIA

Serão transmitidos três shows gravados por artistas de reconhecimento nacional em parceria com grupos de cultura popular, de forma a promover um encontro entre essas tradições vivas e artistas contemporâneos, cuja trajetória tem relação com a cultura, com os pontos (canções) e células rítmicas oriundas dessas manifestações.

As apresentações serão realizadas a partir dos territórios das próprias comunidades tradicionais, permitindo ao público conhecer estes espaços e suas histórias, acompanhar os diálogos e reconhecimentos proporcionados por estes encontros, além o diálogo musical riquíssimo e surpreendente de Rincón Sapiência com o Samba de Bumbo, MC Tha com o Jongo e Anelis Assunção com o Batuque de Umbigada.

Para além dos shows, esta interação estará presente também na Roda de Prosa: “Do samba de bumbo ao neosamba”, inspirada no conceito abordado por Emicida no documentário AmarElo. O artista compartilhará a mesa com as mestras do Samba de Bumbo Rosa Sales e Fabiana Camargo e o pesquisador e sambista Tadeu Kaçula.

TRADIÇÕES

Será realizado um encontro entre as tradições paulistas e suas origens da África Bantu guiado pelo pesquisador e filósofo Antonio Filogenio de Paula Junior. A atividade contará com a participação dos pesquisadores Bas’llele Malomalo, Mestra Janja e Taata Nkisi Katuvanjesi, que abordarão as raízes culturais afro-brasileiras, e precede o show de encerramento do evento com a artista moçambicana Lenna Bahule e a Associação Cultural Hodi, de Maputo.

Da Redação

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

cinco × 5 =