As sete maravilhas de Piracicaba

(Foto: Amanda Vieira/JP)

Piracicaba é sim, como diz a letra de sua música uma cidade “cheia de encantos”. Aqui, além do seu maravilhoso rio que tem o mesmo nome, há dezenas de lugares incríveis e que fazem parte do cartão postal da cidade e da sua história. Em uma enquete realizada pelo Jornal de Piracicaba, os leitores selecionaram os sete melhores pontos turísticos da cidade, as chamadas as sete maravilhas.

ENGENHO CENTRAL

Localizado à margem direita do Rio Piracicaba, está um dos mais bonitos cartões postais da cidade, o Engenho Central. Ele foi fundado em 19 de janeiro de 1881 por um dos homens mais importantes da história da cidade, o Barão de Rezende, conforme informa o site da SemacTur (Secretaria Municipal da Ação Cultural e Turismo de Piracicaba).

O local foi tombado como patrimônio cultural e histórico pelo Codepac (Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural de Piracicaba) em 1989,  e estava desativado desde 1974. Atualmente, o espaço do Engenho é palco de inúmeras atividades artísticas e culturais como o espetáculo Paixão de Cristo encenado ao ar livre, além do Salão Internacional de Humor, Festa das Nações, shows e manifestações culturais que chegam de outras cidades. O Engenho também abriga o Teatro Erotídes de Campos e a Secretária Municipal da Ação Cultural e Turismo.

ESALQ

Em sua arquitetura belíssima, que é um chamariz para reunir famílias para piqueniques e caminhadas, a Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” foi eleita como a segunda maravilha da cidade.

A estrutura que os piracicabanos conhecem hoje em dia é graças ao sonho do visionário Luiz Vicente de Souza Queiroz, que em 1901 doou a Fazenda São João da Montanha para o governo do Estado de São Paulo para a criação de uma escola agrícola, segundo informações da Esalq. Além disso, em 1934 a Instituição fazia parte Secretaria de Agricultura do Estado de São Paulo, e a partir de então começou a fazer parte da USP (Universidade de São Paulo).

A Esalq é conhecida e reconhecida internacionalmente por conta da sua responsabilidade social, além de sempre procurar ampliar a atuação nos pilares de ensino, pesquisa e extensão, tendo formado mais de 15 mil profissionais que atuam nas mais diversas áreas.

RUA DO PORTO

A terceira maravilha escolhida pelos leitores foi o local onde iniciou a colonização de Piracicaba, a famosa Rua do Porto. Junto à população ribeirinha, a cidade começava a conhecer um dos mais belos pontos turísticos do município.

No início da sua colonização, a Rua do Porto era um local marginalizado, devido ao estilo livre e boêmio que ocorriam no local, além da forte tradição ribeirinha da época, no entanto, ainda reunia e reúne uma beleza exuberante, que atrai a população, de acordo com o jornalista e escritor Cecílio Elias Netto, que em dezembro de 2020, lançou o livro “Rua do Porto – Pia Batismal de um Povo”, que retrata exclusivamente esse lugar.

À margem esquerda do Rio Piracicaba, justamente com o calçadão da Rua do Porto, é onde os restaurantes estão instalados. Neles é servido o prato típico da cidade: o peixe no tambor. Além disso, aos finais de semana, no calçadão, a feira de artesanato é uma das principais atrações para os apaixonados por artesanato.

A localização da Rua do Porto é excelente, suas ruas dão acesso ao centro da cidade, além de alguns bairros ao redor, sem contar que é considerado o “umbigo” de Piracicaba por fazer parte da sua história inicial.

Quem caminha pelo calçadão da Rua do Porto, consegue apreciar a arquitetura do local, pois diversas construções ainda são preservadas com a sua forma original, dando ainda mais originalidade para o lugar.

Além disso, outros pontos turísticos englobam a Rua do Porto, como o Engenho Central, a Casa do Povoador, o Casarão do Turismo, Largo dos Pescadores, dentre outros.

BAIRRO MONTE ALEGRE

A quarta maravilha de Piracicaba está atrelada a imigração italiana que começava a chegar a Piracicaba no século 19 para trabalharem na Fazenda Monte Alegre, que anos mais tardes fora vendida e se tornou uma Usina de Açúcar, onde os próprios imigrantes continuaram a trabalhar, dando início para a colônia do Bairro Monte Alegre.

Pedro Morganti, além de comprar a fazenda e a transformar em uma usina, deu início ao processo de colonização do Bairro Monte Alegre, no qual fez com que o local abrigasse mais de 1700 famílias e tivesse a estrutura suficiente para atender as necessidades de todos.

Em 1980 a Usina de Açúcar foi vendida, fazendo com que o bairro passasse por mais uma reformulação, pois muitos trabalhadores da usina se mudassem.

Em 2020 o Bairro Monte Alegre começou um processo de restauração, um projeto que estava no papel desde 2015, tudo isso para preservar a sua estrutura, junto à arquitetura, paisagismo e decoração do local.

O Monte Alegre tem a Capela de São Pedro, uma igreja admirada e bastante disputada entre os casais que querem um local incrível para o seu casamento. Além disso, o bairro atualmente é um centro de referência gastronômica, abrigando em sua estrutura, festivais que atraem a sociedade piracicaba para o bairro histórico.

E para finalizar, a quarta maravilha de Piracicaba é tombada como patrimônio cultural da cidade, pelo Codepac.

PARQUE DO MIRANTE

A quinta maravilha de Piracicaba é o Parque do Mirante. Ainda no século 19, o conhecido Barão de Rezende resolveu construir um local que tivesse uma vista incrível e que fosse um ponto de encontro entre os cidadãos piracicabanos para uma caminhada ao ar livre, além de piquenique entre famílias.

Nesse ponto turístico é possível ter uma visão privilegiada do Rio Piracicaba, Salto, Rua do Porto e do centro da cidade.

No dia 01 de agosto de 1962, o prefeito da época Salgot Castillon, inaugurava o Novo Parque do Mirante, justamente no dia aniversário de Piracicaba.

Nele, o engenheiro agrônomo responsável pelo projeto foi o Odilo Graner Mortatti, que mostrou para os cidadãos o local que conhecemos hoje em dia, com a recuperação do bosque, plantio de árvores, construção de plataformas e do mirante.

Em 1978 a artista plástica Clemência Pizzigatti e outros artistas plásticos junto de alguns alunos das escolas estaduais da cidade, inauguraram um mural de mosaico, sendo o diferencial no local.

HORTO FLORESTAL

A sexta maravilha é para os apaixonados por atividades ao ar livre, por isso o Horto Florestal de Tupi é um dos locais mais procurados para esse tipo de programação.

O Horto de Tupi fica em uma área de 196 hectares, com espécies nativas e um reflorestamento pelo local. As espécies que mais podem ser apreciadas ao redor são: pinus e eucaliptos.

Além disso, local é ideal ir fazer piquenique com a família e amigos, porque em seu ambiente tem disponíveis mesas com cadeiras, um lago aberto para pesca artesanal e aulas sobre o meio ambiente, segundo a Semactur.

Foto: Marcelo Rocha

MERCADO MUNICIPAL

E para finalizar as maravilhas de Piracicaba, o Mercado Municipal não poderia ficar de fora. Para os amantes de pratos deliciosos e que procuram por alimentos de excelente qualidade, o Mercado Municipal, localizado no Centro da cidade é o local ideal para comprar. Sua inauguração foi em julho de 1888 com 68 permissionários e 152 boxes.

Os produtos que podem ser encontrados no Mercado Municipal são: frutas, cereais, legumes, hortaliças, com excelente qualidade e que faz a diferença na hora de preparar a refeição.

O Mercado Municipal faz parte da história da cidade, por estar há mais de um século em atividade sendo ainda tombado como patrimônio cultural da cidade pelo Codepac.

As sete maravilhas de Piracicaba são parte da história da cidade e de momentos importantes da sua trajetória, aliás, são tão belas que encantam que tem o prazer de conhecê-los.

Isabella Ercolin

[email protected]

LEIA MAIS:

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

catorze − 2 =