Associação de surdos tem cinco vagas abertas para projeto de agricultura urbana na cidade

Foto: Assupira

Toda produção é dividida entre os participantes do projeto Horta-Escola da Assupira

Há mais cinco vagas para famílias no projeto Horta-Escola da Assupira (Associação de Surdos – Libras Piracicaba) – veja como participar ao fim desta matéria. Iniciado em dezembro sob o lema ‘Plantando sonhos, colhendo oportunidades’, a iniciativa tem apoio da empresa CJ do Brasil e da Sema (Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento), com idealização de Ligia Rualdes, da Aldeia Brasil. Toda colheita é entregue aos participantes do projeto, que tem planejamento para expandir o cultivo com árvores frutíferas. O objetivo da horta é o de incluir pessoas surdas no mercado de trabalho. As informações são da assessoria da associação local.

O projeto está em desenvolvimento em área de 1.000 metros quadrados da empresa CJ do Brasil, cedida a título de comodato para a associação pelo período inicial de um ano, podendo ser renovado. Para viabilizar a execução do projeto, a Sema providenciou o encanteiramento do terreno e a CJ doou recursos financeiros para a compra de insumos, equipamentos agrícolas, EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) e, também, fornece aos participantes alimentação e transporte gratuito.

Atualmente são atendidas cinco famílias no projeto e há vagas para mais cinco, podendo ser pessoas surdas ou familiares em primeiro grau de surdos. Até o momento foram plantadas alface americana, alface roxa, abóbora, feijão carioca, rúcula, coentro, cebolinha, couve, milho crioulo, quiabo, batata-doce e ora-pro-nóbis. Ainda estão previstas as culturas de berinjela, pimentão verde, espinafre da Nova Zelândia, mandioca, salsa, brócolis, pepino caipira, almeirão, entre outras.

“O projeto prevê o ensino de agricultura urbana para membros da comunidade surda que estiverem desempregados e/ou em situação de vulnerabilidade social. A ideia é que os participantes possam aprender como preparar a terra, escolher as plantas, plantar, regar, retirar as ervas daninhas, identificar e proteger contra as pragas, organizar uma composteira, colher e comercializar os produtos. Espera-se que, ao final do projeto, as pessoas atendidas sejam capazes de gerar renda familiar a partir da comercialização dos produtos”, explica a segunda secretária da Assupira, Beatriz Turetta.

COMO PARTICIPAR?
Podem participar do projeto pessoas surdas e familiares em primeiro grau de surdos. É necessário demonstrar interesse pelos meios de comunicação da Assupira. O contato pode ser feito pelo e-mail ‘[email protected]’, pelo WhatsApp (19) 9 7829-6009 ou pelas redes sociais (Facebook e Instagram, em ‘@assupira’). Após a realização do cadastro no projeto, a Assupira providencia os uniformes e EPIs (calçado de segurança, calça, camisa, chapéu, luvas e protetor solar). Todo participante tem direito a transporte e alimentação (café da manhã, almoço e café da tarde) gratuitos e quem desejar pode tomar banho antes de retornar para casa. “A expectativa é que os participantes percebam na agricultura urbana uma possibilidade de melhorar a situação alimentar e nutricional de suas famílias e que, a partir do escoamento da produção, também se animem com a possibilidade de utilizar o conhecimento adquirido em trabalhos futuros”, comenta Beatriz.

APOIE A CAUSA
Baseado numa proposta de agricultura urbana sustentável e de produção orgânica, o projeto Horta-Escola da Assupira busca parcerias para o desenvolvimento das atividades e escoamento da produção. Os recursos obtidos com a venda dos produtos, especialmente aqueles provenientes a partir do ensino de compra e venda, serão divididos entre os participantes do projeto.

Cristiane Bonin
[email protected]

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

1 × dois =