Local permanecia interditado na noite desta sexta-feira (Claudinho Coradini/JP)

Duas colmeias, que serão retiradas da área de lazer no Parque do Porto serão transferidas para uma área verde nativa. Ontem, uma mulher precisou ser hospitalizada depois de ser atacada por um exame de abelha. Ela sido atingida por 50 picadas, seu marido também levou mais 20 ferroadas e outro senhor que caminhava pelas imediações também foi picado.

A mulher foi conduzida pelo resgate dos bombeiros à UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Frei Sigrist, na Vila Cristina, onde recebeu atendimento médico e liberada em seguida.

A guarda civil Viviane, do Pelotão Ciclístico disse que com o apoio da Romo (Ronda Motorizada), eles auxiliaram no socorro à vítima e fizeram a interdição do local para evitar que outras pessoas também fossem picadas. “A mulher estava bastante assustada, foi socorrida consciente”, disse Viviane.

A Sedema (Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente), em nota, lamentou o episódio ocorrido e esclareceu que naquele momento estavam sendo realizados serviços de manutenção do parque (corte de mato e outras ações). E que, provavelmente, as abelhas se sentiram ameaçadas com o ruído/barulho produzido pelas roçadeiras costais (máquinas de cortar mato) e, a partir disso, iniciaram o ataque à visitante do parque.

As equipes não tinham ciência da existência das duas colmeias/enxames, pois as mesmas estavam localizadas em duas árvores, a alturas aproximada de 15 metros e 20 metros.

Após o incidente, o local foi isolado e um dos responsáveis pelo parque contatou o marido da vítima para obter mais informações sobre a saúde da mesma e sobre o atendimento médico. Devido à localização (grandes alturas), o serviço será feito com o auxílio de um caminhão com cesto aéreo hidráulico.

LEIA MAIS

Cristiani Azanha

[email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dezenove − 3 =