Atiradores do Tiro de Guerra fazem campanha para doação de sangue

Hemonúcleo precisa de 60 a 80 doadores de sangue por dia (Divulgação)

Integrantes do Tiro de Guerra realizaram na manhã de hoje a sua primeira missão humanitária de doação de sangue no Hemonúcleo, localizado na Santa Casa de Piracicaba. Esta ação, em consonância com as diretrizes do Comando do Exército e com o poder público, é realizada para proporcionar ao sistema de saúde melhores condições de combate ao COVID-19. A ideia é estimular os atiradores a fazerem doações frequentes ao longo da vida.

“Os atiradores do TG 02-028 Piracicaba do ano de 2020, bem como a reserva pró-ativa, numa atitude de estender ainda mais a ‘mão amiga’, foram incentivados a se tornarem doadores de sangue e a realizarem esta ação na demonstração da camaradagem e espírito humanitário e de amor e dedicação ao próximo”, disse o sargento Veiga.

Conforme orientações do Ministério da Saúde quanto aos cuidados e na prevenção, foram implementadas mudanças de conduta e costumes, evitando o contato físico e mantendo uma distância de pelo menos um metro entre os doadores, além de divisão por horário de doação no intuito de evitar aglomerações.

A assistente social do Hemonúcleo, Kelly Borges, explica que, para atender a demanda de Piracicaba e região, a meta é manter de 60 a 80 doadores por dia. Número que, segundo ela, oscila bastante, fazendo com que o Hemonúcleo registre uma média de 50 doações/dia. Segundo ela, tão importante quanto doar sangue, é manter a regularidade das doações. Ela explica que, mesmo aquelas pessoas que não podem doar regularmente, devem se engajar e ampliar o processo de doação, levando a mensagem a amigos e familiares.

Para ser um doador é preciso ter entre 18 e 65 anos, estar em boas condições de saúde e dirigir-se ao Hemonúcleo de segunda à sexta-feira, das 7h30 às 13 horas. Telefone (19) 3422.2019.