Atrasa pela 2ª vez fim das obras no Complexo Aquático Municipal

Conjunto de piscinas está fechado desde julho de 2018

A construtora entregou, mas a prefeitura não aprovou: remodelação do espaço segue em obras até dia 2

Ontem, o segundo atraso nas obras do Complexo Aquático Dr. Samuel de Castro Neves – anexo ao estádio Barão da Serra Negra – completou 10 dias. A empresa Spalla Engenharia entregou a reforma à prefeitura no prazo determinado, mas a administração recusou o atual status da remodelação do espaço. Há uma lista de ações que ainda devem ser cumpridas pela construtora. Uma nova vistoria será feita pelas secretarias de Obras e Esportes no próximo dia 2, segunda-feira.

No começo do mês passado, em junho, a prefeitura projetava ter a reforma concluída no último dia 17. Segundo a assessoria de imprensa da Selam (Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Atividades Motoras), entre os pontos discordados para recepção da obra, estão o alinhamento da parte de cerâmica do solarium e da piscina, o que está sendo refeito. A prefeitura também pediu a retirada dos bancos de madeira para tratamento e cobertura de verniz – os assentos deverão ser recolocados hoje. A prefeitura não informou se haverá aumento dos gastos públicos para reforma e quando é a próxima expectativa de datas para conclusão das obras. A remodelação do espaço público teve início em julho de 2020 e, até 10 de junho deste ano, a administração municipal informou que haviam sido gastos R$ 1,06 milhão – a obra foi contratada por quase R$ 1,3 milhão. Por ora, os alunos das atividades aquáticas da Selam (Secretaria de Esportes, Lazer e Atividades Motoras) estão com as aulas suspensas por conta da pandemia do novo coronavírus. Há pouco mais de um mês, segundo a assessoria de Esportes, a piscina multiuso (menor) estava com cerca de 90% das placas assentadas. Já a semiolímpica (maior), estava no início do assentamento dos pisos no fundo. A expectativa inicial era a de conclusão da reformulação até o fim do ano passado, mas o prazo foi estendido por mais seis meses – o motivo, na época, foram as chuvas. O conjunto de piscinas foi fechado em julho de 2018.

O projeto de reforma contempla a divisão da piscina olímpica em duas: uma semiolímpica (25×25 metros), que poderá receber competições oficiais, além de atividades de iniciação e treinamentos, e outra medindo 12,5×25 metros, que será utilizada especialmente para aulas de hidroginástica e contará com uma rampa de acesso, conforme exige a NBR 9050 (acessibilidade pública). No intervalo entre as piscinas, será construído um deck em alvenaria, onde poderão ser instalados guarda-sóis e cadeiras. O espaço abrigará uma galeria técnica, facilitando a vistoria das novas piscinas, que terão sistema de aquecimento de água. A reconstrução inclui ainda novos equipamentos, como bombas e tubulações, e reduzirá o custo de manutenção.

Cristiane Bonin

[email protected]

Leia Mais:

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

3 × 1 =