Automobilismo se despede do piracicabano Angi Munhoz

Angi Munhoz faleceu no sábado (29) (Foto: Acervo da Família)

O automobilismo piracicabano passou o último fim de semana de luto com a morte de Francisco Munhoz Filho, mais conhecido como Angi Munhoz, que faleceu no último sábado (29), aos 77 anos, vítima de longa enfermidade. Angi dedicou boa parte de sua vida ao automobilismo brasileiro e pilotou vários carros icônicos do esporte nacional como o protótipo AC-VW, Porsche 907 e Puma Espartano.

A carreira de Angi começou em 1961, quando participou pela primeira vez em uma prova de rua, em Piracicaba, com um DKW, quando conquistou o segundo lugar, atrás de Jean Balder. O ex-piloto se profissionalizou em 1969, quando comprou um carro possante, montou sua equipe e foi disputar a fórmula Ford. Chegou a terminar um campeonato Brasileiro em segundo lugar.

O piracicabano conviveu com grandes nomes do automobilismo brasileiro e internacional, como Emerson e Wilson Fittipaldi, José Carlos Pace e Ingo Hoffmann. Em 1971, foi vice-campeão da Copa Brasil de automobilismo. Em 1974, Munhoz voltou a morar em Piracicaba, para ajudar o pai nos negócios, e deixou o esporte.

Mauro Adamoli

1 COMENTÁRIO

  1. Conheci Angi Munhoz em 2019, tranquilo, nada parecendo o que foi nas pistas. Nesse mesmo ano teve justa homenagem da Câmara Municipal de Piracicaba em Moção de Aplausos a qual tive o privilégio de lhe entregar. Pelos carros que pilotou, por ter fundado a Equipe Binomotoradio, composta de Porsche 907, Bino Mark II, Alfa T33, Avalone Crysler, monopostos Formula Ford, sendo Vice Campeão em Copa Brasil de Automobilismo e ser de época e competindo com pilotos como Emerson Fittipaldi, José Carlos Pace, Camilo Cristhofaro, Walter Hahn Jr e outros, foi um dos mais bem sucedido entre os pilotos piracicabanos.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

5 + 3 =