Irmãos são procurados pela polícia. (Divulgação)

A Polícia Civil confirmou que o autônomo piracicabano, Marciel Gama Queiroz, que atua no ramo de venda de veículos foi atingido com quatro tiros, no Centro de Nova Odessa, tem mandado de prisão decretado pelo Tocantins. Ele e o irmão teriam participado da chacina de cinco pessoas da mesma família. Ambos tem a oferta de R$ 25 mil a quem ajudar na localização dos investigados. Segundo a polícia, entre as vítimas estão um aposentado de 78 anos e uma criança de cinco anos. Os irmãos também seriam os mentores de outro ataque a família de ciganos, em Palmas (TO), em 2018. Naquela ocasião, um homem morreu e outras quatro pessoas ficaram feridas.

Com relação ao caso registrado nesta terça-feira, em Nova Odessa, os policiais civis da cidade iniciaram a apuração a partir da informação sobre a tentativa de homicídio contra o autônomo. Testemunhas relataram à polícia, que o autônomo ainda estava dentro de sua caminhonete, quando um homem teria descido de um veículo e seguiu em direção do autônomo. Em seguida efetuou os disparos. Os ocupantes da caminhonete não estavam no interior do veículo no momento dos disparos.

A vítima foi socorrida consciente pelos atendentes da ambulância e levada ao Pronto-Socorro do Hospital e Maternidade Dr Hospital Municipal Dr. Acílio Carreon Garcia, em Nova Odessa, mas foi socorrido ao Hospital Estadual Dr. Leandro Franceschini, em Sumaré, onde permanecia internado em estado grave até o fechamento desta edição.

 

Tiros acertaram a janela da caminhonete. (Cedida Renato Silva/Varal de Notícias)

 

INVESTIGAÇÃO

Durante a apuração sobre o caso, os policiais de Nova Odessa descobriram que o autônomo usava nome falso, pois era considerado foragido da Justiça do Tocantins. Ele e o irmão, que não foi localizado pela polícia, teriam participado de uma chacina motivada por uma rixa de famílias ciganas, no dia 26 de julho de 2016, em Wanderlândia, norte do Tocantins. As vítimas foram mortas à tiros após um acidente de carro. Foram assassinados Sidiney Pereira dos Santos, 78; Alan da Silva, 30;  Weslley Alves da Silva, 25; Deuzenir Alves da Silva, 60, e um menino de cinco anos que foi lançado para fora do carro. Uma mulher só sobreviveu porque se fingiu de morta e tapou a boca do filho de dois anos para que não chorasse.

Os policiais também estão apurando a suposta participação dos irmãos no atentado contra uma família de ciganos em Palmas/TO, no dia 26 de junho de 2018.  As vítimas conversavam na porta de casa quando foram atingidas pelos tiros. Uma delas morreu no local e as demais foram socorridas para o hospital da cidade.

O investigador-chefe de Nova Odessa, Marcos Mella disse que polícia está fazendo diligências na tentativa de localizar o irmão do autônomo que também residiria em Piracicaba. Até a tarde desta quarta-feira (3), ele ainda não tinha sido localizado pela polícia. Os investigadores estão confirmando uma informação de que os irmãos também estariam relacionados à homicídios em Rondonia.

“O autônomo permanece internado sob escolta da Polícia Militar e estamos fazendo o levantamento de outras ocorrências que poderiam ter a participação dos irmãos”, disse o delegado Robson Gonçalves de Oliveira, que coordena as investigações sobre o caso.

 

Cristiani Azanha

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

6 + treze =