Bruno Guimarães era presidente do Patriota em evento de apoio | Foto: Claudinho Coradini/JP

O agora ex-presidente do Patriota em Piracicaba, Bruno Guimarães, fundador do diretório local em 2017, rebate a afirmação da ex-prefeiturável da legenda, Erica Gorga, que criticou seu apoio, e de outros candidatos a vereador do Patriota, a Luciano Almeida (DEM) em 2º turno, declarado publicamente em evento no dia 19 de novembro.

Dois dias depois, Erica disse que Guimarães não poderia usar o nome do partido porque já não era o presidente local no dia do anúncio do apoio ao candidato do Democratas. “É uma inverdade. Não fui expulso”, destaca. “Apenas não concordei com o posicionamento da Erica, que não queria que nos pronunciássemos, como Patriota”.

Após este desentendimento, afirma Guimarães, aconteceu uma série de conversas com o partido até sua destituição, bem como toda a diretoria.

Do outro lado, Erica Gorga enviou ao JP um print de tela de celular em que mostra duas falas de Guimarães, como forma de defender seu posicionamento sobre Guimarães, segundo ela, não mais representar o Partido no dia 19 de novembro. “Obrigado a todos família Patriota de Piracicaba”, diz a primeira.

“Esse áudio aqui foi encaminhado ao Presidente do Partido Patriota Estadual Osasco, quero aqui informar a todos, eu, Bruno Guimarães não faço parte mais do Partido Patriota Piracicaba”, na segunda.

Bruno Guimarães também enviou prints e documentos ao JP, entre eles, um ofício da Justiça Eleitoral gerado eletronicamente por Ovasco Roma Altimari Resende, presidente do partido, em 20 de novembro, às 10h18, confirmando a inativação do órgão partidário somente naquele dia. Como destaca, comprova que não foi expulso, e que podia falar como presidente no evento que confirmou apoio a Luciano.

Leia Mais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

treze + 4 =