Campanha histórica do Brasil em Tóquio será destaque do Prêmio Brasil Olímpico

Prêmio Brasil Olímpico acontece em dezembro, em Aracajú - Crédito imagem: COB

O COB (Comitê Olímpico do Brasil) prepara uma grande festa para homenagear a campanha histórica brasileira nos Jogos Olímpicos de Tóquio/2020. A homenagem vai acontecer durante o Prêmio Brasil Olímpico, em cerimônia marcada para o dia 7 de dezembro, no Teatro Tobias Barrento, em Aracajú, capital de Sergipe.

De acordo com a organização, todos os atletas medalhistas serão convidados a subir ao palco para a recepção de troféus especiais. A região é o berço dos medalhistas olímpicos Ítalo Ferreira (Rio Grande do Norte), Ana Marcela Cunha (Bahia), Hebert Conceição (Bahia), Isaquias Queiroz (Bahia) e Rayssa Leal (Maranhão), dentre outros.

“O Nordeste foi protagonista nos Jogos Olímpicos de Tóquio, tendo conquistado quatro das sete medalhas de ouro. Focamos em levar as ações do COB para diferentes cidades para mostrar que todas as regiões do Brasil estão preparadas para realizar grandes eventos ligados ao esporte e que o Comitê Olímpico enxerga isso claramente.” – o presidente do COB, Paulo Wanderley.


Em sua 22.ª edição, o Prêmio Brasil Olímpico prepara homenagens para os atletas do passado e do futuro do esporte olímpico do Brasil. A participação do país na primeira edição dos Jogos Pan-Americanos Júnior, na Colômbia, será lembrada com uma premiação aos medalhistas da competição voltada exclusivamente para atletas com 23 anos ou menos.

E, claro, haverá uma homenagem aos 14 indicados ao Hall da Fama em 2020 e 2021: os atletas Adhemar Ferreira da Silva (atletismo); Aída dos Santos (atletismo); Aurélio Miguel (judô); Bernard Rajzman (vôlei); Reinaldo Conrad (vela); Sebastián Cuattrin (canoagem velocidade); Tetsuo Okamoto (natação); Wlamir Marques (basquete); Gustavo Borges (natação); Hélia Pinto “Fofão” (vôlei); Rogério Sampaio (judô); Servílio de Oliveira (boxe); e os treinadores Nelson Pessoa (hipismo saltos); Mário Jorge Lobo Zagallo (futebol).

Idealizado em 2018, o Hall da Fama do COB pretende eternizar os atletas e treinadores que ajudaram a construir a história olímpica do país, promovendo o Olimpismo e inspirando novas gerações. Os homenageados que ainda não tiveram seus pés ou mãos gravados em cerimônia própria deverão ser eternizados no Prêmio Brasil Olímpico.

Edilson Morais

[email protected]

LEIA MAIS:

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

dois × quatro =