Campanha tenta evitar abstenção recorde nas eleições

Campanha visa evitar que eleitores se abstenham de votar | Foto: Claudinho Coradini/JP

Uma eventual abstenção recorde nas eleições municipais, muito devido à pandemia da covid-19, é a principal motivação da Campanha Voto Consciente, lançada ontem, e que consiste em divulgar de diversas formas, e em diferentes plataformas (no meio digital, físico, televisivo e radiofônico), informações pertinentes ao pleito do próximo dia 15 de novembro em Piracicaba.

A campanha é uma iniciativa de quatro entidades da cidade, são elas: Simespi (Sindicato Patronal das Indústrias), Acipi (Associação Comercial e Industrial de Piracicaba), Coplacana (Cooperativa dos Plantadores de Cana do Estado de São Paulo) e Sincop (Sindicato dos Contabilistas de Piracicaba).

Um representante de cada uma participou do lançamento do Voto Consciente na sexta-feira à tarde, na sede da Simespi, junto ao juiz eleitoral Mauro Antonini, da 270ª ZE (Zona Eleitoral) e do presidente das eleições locais deste ano, o juiz Wander Rosetti Júnior, da 93ª ZE.

A abstenção maior deste ano, se comparada em eleições anteriores, destaca Antonini, deve ser considerada “natural”, devido ao receio de pessoas em sair de casa e se expor, com medo da covid-19. “Esperamos que abstenção seja a menor possível e é preciso ressaltar que o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) tomou medidas para realizar um pleito seguro”.

E medidas de segurança é um tópico do informativo da Campanha Voto Consciente, que será vinculado – até 15 de novembro, o dia do pleito – na imprensa, em redes sociais, rádios, televisão e também serão divulgados em forma de e-mail marketing. Além disso, cada entidade será responsável para o material, um folheto de 16 por 21 centímetros, chegue aos associados e familiares.

Rosetti Júnior reforçou a fala do juiz da 270ª ZE. “O eleitor precisa se sentir seguro para ir às urnas”. O presidente do pleito local acredita que a abstenção será “normal”. “Confio no cidadão”. Segundo o juiz, abstenção de 2020 deve ser próximo ao que foi nas últimas eleições, que foi em torno de 21%.

Uma informação relevante dada por Rosetti Júnior, e que pode causar confusão, é sobre o fim a justificativa presencial. “Será totalmente eletrônica”, ele destaca, pelo aplicativo e-Título ou pelo sistema Justifica do TSE. “O cidadão que não comparecer à urna e também não justificar no dia, terá mais 60 dias para justificar, e depois fica sujeito à multa”, completa. Segundo o juiz, os cartórios eleitorais não auxiliarão o eleitor sobre este processo no dia do pleito.

Erick Tedesco

Leia mais:
Dezoito candidatos a vereador receberam auxílio emergencial; confira a lista
Acusado de chefiar o tráfico de drogas no DF é preso em Piracicaba
Computador e celular são apreendidos em Piracicaba durante operação internacional “Luz na Infância”

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

18 + 4 =