Campestre pode entrar em colapso viário e de serviços

Foto: Alessandro Maschio/JP

Avenida Laranjal é foco de projeto do Executivo

Segundo uma comissão de moradores do bairro Campestre, a região tem problemas urgentes a serem resolvidos quanto à acessibilidade viária e abastecimento de água e fornecimento de energia elétrica, beirando um colapso na ocupação. O Campestre foi tema de audiência pública na última terça-feira (28), na Câmara Municipal. As discussões no Legislativo sobre o bairro começaram recentemente com a possibilidade de implantação de ciclovia dentro do projeto Nova Laranjal, de autoria do Executivo. As informações são da assessoria da Câmara.

Na audiência, José Jair da Silva Mendes, morador do condomínio Bonne Vie e representante do grupo de moradores Amigos do Bairro Campestre, apresentou um dossiê com os problemas causados pelo crescimento irregular e ineficiências da infraestrutura de serviços básicos. Segundo Mendes, há, ao menos, mais três novos condomínios de apartamentos, impactando na circulação de cerca de mil veículos a mais circulando nos horários de pico e demando rede suficiente para água, esgoto e energia.

O Censo Demográfico de 2010 mostra que o bairro tinha uma população de 3.983 pessoas. Na região Sul de Piracicaba, o Campestre figurava com a menor densidade de habitantes por hectare, de 5,15. Mendes foi taxativo em torno da urgência das ações para amenizar a situação urbanística atual do bairro: “se não tiver mudança, certamente o bairro vai entrar em colapso”.

RESPOSTAS
A Semuttran (Secretaria Municipal de Mobilidade, Trânsito e Transportes) informou que a instalação de um semáforo na rodovia Cornélio Pires depende da concessionária Rodovia Colinas e da Artesp (Agência Reguladora do Transporte no Estado de São Paulo). Já o Semae (Serviço Municipal de Água e Esgoto) concordou com o diagnóstico de crescimento desordenado e disse haver estudos sobre a demanda do bairro, entretanto, a autarquia não tem recurso para investir. A CPFL informou que a empresa continua investindo. André Bandeira (PSDB), vereador autor do requerimento que convocou a audiência, defendeu um prazo para solucionar os problemas e um termo de ajuste de conduta.

Cristiane Bonin
[email protected]

LEIA MAIS

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

catorze + treze =