Campos do Jordão é ótima opção mesmo no verão

No verão tem menos movimento e mais descontos nos pontos turísticos

O que fazer em Campos do Jordão no verão? É a pergunta que muitas pessoas fazem quando começam a planejar sua viagem para a “Suíça brasileira”, já que pensam que só tem atividades no período da alta temporada, que é no inverno. Para quem tiver esta dúvida, é só ouvir a frase que melhor define a região do Vale do Paraíba, onde a cidade está localizada é: “Campos do Jordão é frio mesmo na estação mais quente de todas”. Por estar situada na Serra da Mantiqueira, os ventos e a umidade fazem com que as temperaturas sejam sempre mais baixas.

Por isso, recebeu do Governo do Estado de São Paulo o título de Estância Climática, incentivando os investimentos em infraestrutura, cultura e lazer. Para perder o estigma de que só recebe turistas durante o inverno, a cidade mostra que é multifacetada. Em quase todos os meses do ano tem festas e atividades. E, no verão, lojas e hotéis baixam os preços em cerca de 40%. Se seu interesse for comprar roupas de couro e casacos pesados, os descontos são ainda maiores, pois os lojistas precisam queimar o estoque e trazer novos modelos para o inverno.

Entre os principais pontos turísticos, a Ducha de Prata é uma das atrações que mais chamam a atenção no verão. É fácil identificar por agrupar em um pequeno espaço cafeterias, lojas de roupas e malhas, chocolaterias, um grande número de “trenzinhos” turísticos e restaurantes variados. Trata-se de um monumento construído pelo ser humano. Ele é composto por vários chuveiros e cascatas artificiais que podem ser atravessadas por passarelas de madeira. Além das cachoeiras, os turistas podem se refrescar nas tirolesas e se banhar nas águas do Ribeirão das Perdizes. Se o visitante quiser eternizar o momento, há no final das cascatas um quiosque com fotógrafos, que vão fazer o registro da família e amigos. Eles vendem posteriormente com moldura personalizada.

De janeiro e dezembro, o Pico do Itapeva nunca perde a beleza

O Museu Felícia Leirner é parada obrigatória no seu tour por Campos do Jordão no verão. Ele foi projetado em meio a um remanescente de Mata Atlântica e com a Pedra do Baú como fundo. Os meses da primavera certamente são os mais atrativos. É nessa época que as flores e árvores estão no ápice de sua beleza. Além disso, elas servem como adorno às esculturas feitas de bronze, cimento e granito, retratando diferentes fases da vida da artista plástica: figurativa, a caminho da abstração, abstrata, orgânica e recortes da paisagem. Todas elas estão expostas ao ar livre e estabelecem uma união entre ser humano
e natureza.

O Pico do Itapeva fica a 2.030 metros de altitude. Além de ser sede do Laboratório de Pesquisas de Raios Cósmicos, montado pela Força Aérea Brasileira, tem visão privilegiada para mais de dez cidades do Vale do Paraíba e Serra da Mantiqueira. Do alto dá para ver Lorena, Tremembé, Taubaté, Caçapava, Piquete, Moreira César, Cruzeiro, Aparecida, São José dos Campos, Eugenio de Melo, Cachoeira Paulista, Pindamonhangaba, Roseira e Potim. Mesmo estando nos arredores de Campos do Jordão, existem muitas trilhas e guias turísticos nos hotéis que levam diariamente dezenas de pessoas ao Pico.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

5 × quatro =