Com o novo recorde de casos positivos, Piracicaba chegou ontem a 1.044 infectados (Foto: Claudinho Coradini/JP)

O residente do Lar Betel, Osair Olivio Zangerolamo de 65 anos, recebeu alta ontem após 40 dias internado no HRP (Hospital Regional de Piracicaba), devido ao diagnóstico positivo para covid-19. Ele deixou o hospital no início da tarde. Durante o período de internação, o paciente teve complicações, como duas paradas cardíacas, duas entubações e também foi traqueostomizado. “Depois de 40 dias de luta ele venceu o vírus e segue de volta para o Lar Betel”, informou a assessoria do hospital.

Felizmente, Osair entra para as estatísticas dos pacientes curados da covid-19 em Piracicaba, que de acordo com os dados da prefeitura, somam 756 recuperados.

Por outro, lado pacientes com doenças cardiovasculares são maioria das vítimas fatais de covid-19 na cidade. De acordo com a Vigilância Epidemiológica, 71,8% dos pacientes mortos tinham comorbidades relacionadas a problemas cardíacos.

Na sequência, estão os diabéticos, formando 35,9% dos óbitos no município, por coronavírus.

Os dados se referem às mortes registradas até a última sexta-feira, quando 39 pessoas morreram em Piracicaba vítimas da doença.

No Estado de São Paulo, os principais fatores de risco associados à mortalidade são cardiopatia (58,2% dos óbitos), diabetes mellitus (42,9%), doenças neurológica (11,3%) doença renal (10,3%), pneumopatia (9%).

Outros fatores identificados, também em Piracicaba, são: obesidade, imunodepressão, asma, doenças hematológica e hepática. Esses fatores de risco foram identificados em 7.406 pessoas que faleceram por covid-19 (80,6%) em todo o Estado.

RECORDE DE INFECTADOS
Piracicaba ultrapassou os mil casos positivos de covid-19, nesta segunda-feira. A Secretaria de Saúde do município registrou – em 24 horas – 114 diagnósticos positivos da doença. É o maior número de confirmações desde o início da pandemia. Com as atualizações de ontem, subiu para 1.044 infectados na cidade.

Já o total de mortos se mantém nos 40 óbitos divulgados na sexta-feira.  As mulheres são maioria dos novos casos positivos de coronavírus em Piracicaba.

De acordo com a prefeitura, são 62 pacientes com idades entre cinco e 86 anos. Entre os 52 homens, as idades variam de sete a 73.

COBRANÇA
Ontem, o Coletivo Oswaldo Cruz, que monitora os casos de contaminação e as políticas públicas de enfrentamento ao Covid-19, enviou carta ao Prefeito de Piracicaba, Barjas Negri (PSDB) cobrando medidas mais eficazes para o combate da pandemia.

O coletivo argumenta que a prefeitura publicou decreto flexibilizando a quarentena na cidade e autorizando o pleno funcionamento do comércio e shopping center.

Essa medida, segue o texto, foi modificada dias depois restringindo o horário de funcionamento para quatro horas diárias.

“No último dia 6, o número de casos confirmados cravou em 891, uma elevação de 113 novos casos em relação ao dia anterior. Do dia 28 de maio, data do decreto, até o dia 6, ou seja, em apenas nove dias, houve um aumento de 74% do número de casos confirmados”, destaca o coletivo.

“Nesses últimos dias a notícia mais triste foi a de que no Lar dos Velhinhos constatou-se um grave surto de contaminação, atingindo 83 pessoas, entre residentes e funcionários. A luz amarela acendeu e a percepção, expressa no referido Decreto, de que Piracicaba estava numa situação confortável em relação ao controle da epidemia, parece que precisa ser revista, e com urgência”.

O coletivo enfatizou que mídia local já divulga números preocupantes em relação à capacidade de suporte hospitalar. “Ademais, a eclosão de novos casos nos primeiros dias de junho, pós decreto portanto, não reflete ainda os efeitos da flexibilização, o que dá margem a se supor que nos próximos dias poderemos ter um quadro extremamente agravado”, acrescentou.

Por conta disso, “o coletivo cobra que o prefeito venha a público, de imediato, para esclarecer, com a transparência necessária, a evolução da crise sanitária (fatores causais; capacidade de suporte; etc) e quais medidas estão sendo tomadas, ou cogita tomar para fazer face a ela, antes que a mesma tome proporções de verdadeira catástrofe”.

DOENÇA NO ESTADO
Nesta segunda-feira o Estado de São Paulo registrou 9.188 óbitos e 144.593 casos confirmados pelo novo coronavírus. Entre as pessoas diagnosticadas com a covid-19, 27.118 mil foram internadas, curadas e tiveram alta hospitalar.

Dos 645 municípios do território paulista, houve pelo menos uma pessoa infectada em 561 cidades, sendo 292 com um ou mais óbitos.

As taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 75,5% na Grande São Paulo e 67,5% no Estado. O número de pacientes internados é de 12.608, sendo 7.792 em enfermaria e 4.816 em unidades de terapia intensiva.

POPULAÇÃO DE RUA
Na semana passada, 60 moradores de rua realizaram os testes para covid-19 em Rio Claro e um diagnóstico foi positivo. “Com o resultado, a pessoa foi imediatamente colocada em isolamento, o que impede a transmissão do coronavírus para outras pessoas”, afirmou o prefeito João Teixeira Junior, por meio de nota.

“Infelizmente há pessoas em nosso município que estão em situação de rua e que merecem o nosso respeito e nosso cuidado”, acrescentou.

O caso positivo foi registrado entre as pessoas em situação de rua que estão em abrigos oferecidos no município para esta população. Os testes foram feitos em 30 pessoas acolhidas no Centro Dia do Idoso na Vila Operária e na Casa de Passagem. Outras 30 pessoas em situação de rua realizaram o teste rápido no Jardim Público.

“O objetivo da testagem é justamente esse: identificar casos positivos para que medidas sejam adotadas visando evitar novos casos, além de possibilitar o cuidado necessário a quem já está com a doença”, observa Maurício Monteiro, secretário de Saúde.

A pessoa que teve resultado positivo cumpre o isolamento abrigada no Centro Dia do Idoso do Jardim das Palmeiras, local que a prefeitura disponibilizou para isolar pessoas em situação de rua que tenham resultado positivo para Covid-19.

PORTAL PARALELO
O Conass (Conselho Nacional dos Secretários de Saúde), que reúne os gestores dos 26 estados e do Distrito Federal inaugurou, no domingo, um portal paralelo para divulgar os dados da pandemia de coronavírus no país.

Segundo a entidade, os dados serão atualizados diariamente às 17h – horário em que os dados são enviados ao Ministério da Saúde para consolidação do boletim nacional. Desde a última quinta o Governo Federal passou a divulgar os dados só ao fim da noite, depois das 21h30. Os dados ficarão disponíveis no site do Conass.

O Ministério da Saúde anunciou ontem que vai manter a divulgação dos números acumulados de mortes e de infectados.

A pasta confirmou, no entanto, que vai promover mudanças na divulgação, dando destaque para os dados efetivamente registrados nas últimas 24 horas.

Beto Silva

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

cinco × 1 =