Carnaval do Rio perde Laíla, da Beija Flor, e Mug, de Vila de Isabel

Carnaval do Rio perde Laíla, da Beija Flor, e Mug, de Vila de Isabel
Fonte: Agência Brasil

O carnaval carioca perdeu hoje (18) dois representantes de peso. Um deles foi o diretor de carnaval Luiz Fernando Ribeiro do Carmo, conhecido como Laíla, que morreu aos 78 anos por complicações da covid-19. Ele estava internado no Centro de Tratamento Intensivo do Hospital Israelita Albert Sabin, na Tijuca, zona norte, desde o último dia 13. Havia tomado a primeira dose da vacina em março deste ano.

Em seus 50 anos de carnaval, Laíla passou pelas escolas de samba Beija-Flor, Vila Isabel e Unidos da Tijuca. Somente na Beija Flor ficou  30 anos, em várias passagens. A última escola em que atuou, no Rio de Janeiro, foi a União da Ilha, em 2020.

“A morte de Laíla coloca em luto oficial, por tempo indeterminado, toda a família Beija-Flor”, afirmou a agremiação, em nota. “Laíla deixa uma legião de admiradores que o viram revolucionar o espetáculo da Marquês de Sapucaí ao longo de mais de 50 anos de trabalho”, destacou a escola.

Em sua página no Twitter, o governador do Rio, Claudio Castro, disse que “a comunidade do carnaval está de luto. Luiz Fernando do Carmo, o Laíla, não resistiu à covid-19. Deixa um legado histórico e uma gratidão indescritível a quem faz o carnaval. Vá em Paz, Mestre. Aos familiares e amigos, desejo força e superação na alegria que ele inspirava”.

Mestre Mug

Outra perda foi do mestre de bateria Amadeu Amaral, mais conhecido como Mestre Mug, que estava internado desde março último no Hospital Universitário Pedro Ernesto, da Universidade do Estado do Rio (Uerj), em Vila Isabel, bairro da zona norte onde está situada a escola, cuja bateria ele comandou por 30 anos. Mug deu entrada no hospital para tratar de hérnia de disco na coluna. De acordo com o hospital, ele faleceu devido a múltiplas infecções. Em setembro de 2020, ele foi internado com covid-19, mas ficou bom da doença.

Em nota, o Grêmio Recreativo Escola de Samba Unidos de Vila Isabel lamentou o falecimento “do eterno Mestre Mug, que esteve à frente da nossa bateria, fazendo história, por 30 anos (1979-2009).

Nesse momento de profundo pesar, desejamos aos fãs, amigos e familiares a nossa solidariedade e o desejo de que Deus traga o conforto para cada coração. Obrigado por tudo, Mestre Mug!”, conclui a nota. Ainda não há informações sobre velório e local de sepultamento ou cremação de Laíla e Mestre Mug. 

Carnaval do Rio perde Laíla, da Beija Flor, e Mug, de Vila de Isabel

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

dezoito − onze =