Casa do Hip Hop recebe doações para famílias vulneráveis

Ações de solidariedade se espalham pela cidade (Foto: Claudinho Coradini/JP)

Denominada “Ação Entre Amigos”, a partir de hoje (4), às 10h, a Casa do Hip Hop começa a arrecadar alimentos e produtos de higiene para serem entregues a famílias em vulnerabilidade social durante a pandemia do novo coronavírus. A ação é da comunidade da Pauliceia e será realizada aos sábados.

De acordo com a instituição, para distribuir os mantimentos, serão elaboradas cestas. A Casa fica na rua Jaçanã Altair Pereira Guerrine, 188, no bairro Pauliceia. Caso o doador não possa se deslocar até lá, pode entrar em contato pelos telefones (19) 97421-0231, 99965-2352 e 99660-5616.

Podem ser doados álcool em gel, alimentos não perecíveis, leite, produtos de higiene pessoal e de higiene para a casa.

“Precisamos da colaboração e solidariedade dos irmãos e amigos de todos os dias. Você que frequenta a Casa sabe que tudo do que dispomos também sempre é compartilhado contigo. Colabore com o que puder. Será de grande valor a quem está necessitando. Gratidão”, diz a publicação da Casa no seu perfil no Instagram.

Birajara Cristiano de Barros Sabino, coordenador geral da Casa do Hip Hop, conta que a comunidade juntou forças para ajudar. Fazem parte da ação diversos coletivos, como Caminhação, Pastoral da Criança da Pauliceia, Baque Caipira, Beleza Preta, entre outros. “Acho que todas as pessoas têm que contribuir nesse momento e a Casa está fazendo seu papel nesse momento que é buscar parceiras e parceiros mobilizando a cidade para arrecadar e direcionar para as famílias que precisam nesse momento”, reflete Birajara.

O coordenador lembra que não será possível atender a cidade toda, mas outras ações também estão sendo realizadas por lideranças comunitáras. “Esses alimentos vão ser direcionados para as famílias, tem família da Pastoral, comunidade da Pauliceia, bairro Santa Fé, Oriente, tem algumas famílias que a gente tem contato que já vem gritando pra gente já essa questão da falta de alimento dentro de casa por essa questão do país do coronavírus, mais essa falta de emprego que está começando crescer dentro de casa”, conta.

Andressa Mota