Casablanca, no Marrocos, é um misto de culturas e histórias

Arquitetura da cidade remete bem seu passado. Foto: Pexels

Maior cidade marroquina se tornou famosa pelo mundo após ser cenário e nome de filme lançado em 1942

Casablanca, a maior cidade do Marrocos, país localizado no continente africano, ficou conhecida e famosa mundialmente no século passado, após ser ‘palco’ do filme que leva seu nome, lançado em 1942. Graças à Humphrey Bogarte Ingrid Bergman, estrelas hollywoodianas que e levaram o filme à categoria de clássico, Casablanca virou um destino turístico. O resto é história.
Ou pura ficção, pois esses visitantes provavelmente não sabem que o filme não foi rodado em Casablanca, mas inteiramente dentro dos estúdios da Warner, na Califórnia.

A Casablanca de verdade tem um incrível acervo arquitetônico em estilo art nouveau, herança dos tempos em que o Marrocos era uma colônia francesa. Combinado com novas feições urbanas que aproximam a cidade cada vez mais da árabe e berbere, Casablanca mostra que está em profunda transformação.

Recentemente, Casablanca tem oferecido ao turista uma infraestrutura hoteleira da melhor qualidade, sobretudo por estar investindo em seu litoral.

Apesar de ter maioria muçulmana,o país é bem liberal no sentido de se vestir, falar e etc (diferente do Egito que já foi inclusive falado das restrições em outro artigo da Arraso).

A língua oficial é o árabe, mas praticamente todos os moradores sabem também falar francês e muitas das exposições e obras
e até nomes de locais turísticos são na língua francesa.

ARQUITETURA

O país tem uma boa relação com sua cultura ancestral, pois Casablanca é composta de uma arquitetura árabe belíssima. Composta por azulejos, arabescos, mosaicos e lustres, além da coloração clara e o uso de mármore e gesso em alguns monumentos.

A cidade pode parecer um pouco caótica, pois é a maior do país, por isso fique atento para não se perder entre os labirintos que parecem alguns bairros de Casablanca por terem casas muito parecidas. A cor clara da maioria das casas, além de uma questão cultural, é devido ao branco refletir mais a luz do sol evitando esquentar de mais as moradias, visto que o clima mediterrâneo é bem quente.

LE MEDINA

Por falar em se perder o centro de Casablanca é o local perfeito para caminhar sem muito rumo. Le Medine tem inúmeras lojas que vendem de tudo, tecidos, jóias, bolsas, sapatos, temperos, especiarias, bugigangas e por aí vai. O lugar normalmente fica aberto até às 23h e quem viajou lá fala que a iluminação é linda de se apreciar.
Devido a covid-19 alguns horários podem mudar, mas por enquanto estão assim.

LE CORNICHE

Não tem como falar de Casablanca sem indicar o local mais procurado pelos turistas. Le Corniche é algo semelhante com o calçadão de Copacabana. Você vai caminhar com toda a visão do mar de um lado e do outro mercados, cafés e restaurantes de boa qualidade e preço, às vezes, mais caros, mas que compensa muitas vezes pela qualidade que recebe.
O ideal é passear ao final do dia ou de manhã cedo, assim você caminha sem sofrer com calor e a umidade pode ter ao longo do dia. Mas se estiver cansado do mar, caminhando em direção ao centro você pode apreciar as lojas de luxo e mansões que se encontram não muito longe da praia, as avenidas são mais espaçosas e tranquilas de andar, pois é a parte mais moderna da cidade e você vai sentir que está em outro país. São essas mudanças e misturas que tornam Casablanca um lugar tão único.

Larissa Anunciato

[email protected]

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

18 − cinco =