Casal em Piracicaba cai em golpe por WhatsApp e perde R$ 8 mil para golpistas

Foto: Alessandro Maschio/JP

Em Piracicaba, um casal de 58 e 60 anos caiu num golpe de estelionato por meio de aplicativo de mensagens WhatsApp, ocasião em que foi registrado um prejuízo de R$ 8 mil. A filha do casal conversou com o JP na manhã desta terça-feira (10).

Ela conta que sua mãe, de 58, recebeu uma mensagem em seu WhatsApp de uma pessoa que se identificou como sua irmã. Como o número possuía até foto de sua irmã, ela realmente acreditou estar em contato com sua parente. Durante a conversa, o golpista disse que o celular antigo tinha quebrado e que por isso tinha sido necessário fazer um número novo. “Fingindo ser a irmã da minha mãe, ele disse que tinha perdido o acesso à conta do banco por se tratar de um celular novo e que precisava pagar duas contas”, explicou ao JP a filha do casal. “Como essa tia sempre nos ajudou muito, minha mãe não pensou duas vezes em ajudá-la.

O golpista mandou um número de PIX, disse que a primeira conta era no valor de R$ 2.950 e que devolveria o dinheiro todo no dia seguinte. Essa transferência foi feita. “O golpista agradeceu e na sequência já disse aos meus pais que a segunda conta era de R$ 5 mil reais. Como meus pais não tinham essa quantia, eles tiveram que recorrer ao cheque especial deles.”

Com o segundo PIX realizado, o golpista não hesitou em perguntar se o casal poderia pagar uma terceira conta. Foi aí que a filha interveio. “Minha mãe já estava sem dinheiro para a transferência desse terceiro PIX, mas ainda assim ela zerou sua conta e mandou mais uns R$ 3 mil que ainda tinha”, explicou a filha. “Como eu estava estranhando a situação, pedi que meus pais ligassem no número em que estavam conversando, mas, claro, o golpista não atendia. Só percebemos que havíamos sofrido um golpe quando ligamos para o meu tio.”

Ao todo, três transferências via PIX, no valor de R$ 8 mil, foram realizadas pelo casal.

O BANCO — O casal ligou para o banco, explicou a situação e foram informados de que o primeiro procedimento a ser realizado seria o registro de um boletim de ocorrência. “Fizemos o boletim e enviamos para um e-mail que o próprio banco pediu. Agora há um prazo de 20 dias úteis para eles darem uma resposta se podem, ou não, ressarcir esse valor”, explicou a vítima.

O banco informou que como o golpe ocorreu por meio de PIX, as chances do casal conseguir um ressarcimento são pequenas. “O banco disse que só temos chance se o golpista deixar esse dinheiro na conta; se eles sacarem, aí com certeza já não há mais possibilidade de recuperar o valor”, conta a vítima.

Para se recuperar do prejuízo, a filha diz que vem ajudando seus pais conforme dá. “Faz uma semana que estamos vendendo pizzas e agora meu pai também está considerando se tornar um Uber para ter mais uma renda extra”, desabafa.

Foto: Alessandro Maschio/JP

Rafael Fioravanti | [email protected]

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

4 × 4 =