Casos registrados pela Saúde de Piracicaba em 20 dias, são 30 vezes menores do registrado há 1 ano

Foto: Claudinho Coradini/JP

De acordo com Vigilância Epidemiológica, de 1º a 20 de janeiro de 2021 foram 83 casos positivos

Os três casos de dengue registrados em Piracicaba nos 20 primeiros dias de 2022 são quase 30 vezes menor que o total registrado no mesmo período no ano passado. De acordo com os dados da Vigilância Epidemiológica, de 1º a 20 de janeiro de 2021 foram detectados 83 casos positivos da doença. Já em 2020, ainda no mesmo Período, foram 40 diagnósticos. Para enfrentar o Aedes aegypti – mosquito que também é responsável pela transmissão da zika, chikungunya e febre amarela urbana, a Secretaria de Saúde inicia neste sábado ações de enfrentamento do vetor.

O PMCA (Plano Municipal de Combate ao Aedes ), ligado ao CCZ (Centro de Controle de Zoonoses), vai fazer um mutirão de combate ao Aedes no bairro Vila Rezende, com participação dos agentes de saúde. No mesmo dia acontece arrastão na comunidade Frederico, região dos bairros Jardim Gilda e Bosques do Lenheiro, com apoio das equipes da Sedema (Secretaria de Defesa do Meio Ambiente). Todas as ações do PMCA têm apoio de equipes da Guarda Civil.

O objetivo destas ações, segundo a Saúde, é a retirada de materiais inservíveis que podem ser potenciais criadouros do mosquito. A ação está prevista para acontecer das 8h30 às 14h e vai respeitar todos os protocolos sanitários e de segurança da covid-19. O primeiro arrastão do ano aconteceu dia 8, no bairro Algodoal, quando foram recolhidas cerca de cinco toneladas de materiais inservíveis.

“O objetivo de promover estas ações é exatamente a retirada de materiais que podem servir de criadouro para o Aedes e, assim, oferecer mais proteção aos moradores no sentido de que os mosquitos e larvas sejam também eliminados, pois em um único local a fêmea do mosquito chega a colocar, em média, mais de 100 ovos”, informou o coordenador do PMCA Sebastião Amaral Campos, o Tom.

A coordenação do PMCA vem realizando força-tarefa em sete regiões de maior movimento nos corredores comerciais da cidade desde o mês de dezembro. A previsão da equipe é de novas ações nas regiões da avenida Rui Barbosa e rua Governador Pedro de Toledo nas próximas semanas, sempre às quartas-feiras.

Conforme ressalta o secretário de Saúde, Filemon Silvano, o combate à dengue e ao seu mosquito transmissor deve ser constante. “É por isso que a Prefeitura não para com suas ações de fiscalização, conscientização e educação junto à sociedade. É preciso que todos nós entendamos o nosso papel no combate a essa doença. Estamos e vamos continuar fazendo de tudo para evitar surtos de dengue em nossa cidade”.

Beto Silva
[email protected]

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

11 − oito =