Cecan conclui pesquisa do câncer de próstata em homens; 49% não fazem o rastreio anualmente

Foto: Divulgação

Questionário foi aplicado para homens com mais de 45 anos, iniciativa foi do médico Caio Marcelo Jorge

O médico radioterapeuta Caio Marcelo Jorge, do Cecan (Centro do Câncer) da Santa Casa de Piracicaba, concluiu a apuração do questionário que ele coordenou para esboçar o perfil de homens com 45 anos ou mais em relação à prevenção do câncer de próstata.

“O questionário foi aplicado de forma aleatória por meio de canais de comunicação digital, como redes sociais, sites, aplicativos de troca de mensagens e correio eletrônico, com apoio do Google Forms para o gerenciamento dos formulários”, disse
o médico.

Ele conta que foram realizadas sete perguntas relativas à idade, ao rastreio, ao início dos exames de prevenção e à detecção precoce do câncer de próstata, bem como aos antecedentes pessoal e familiar da doença.

O radioterapeuta justifica a iniciativa, lembrando que o câncer de próstata é o tumor mais incidente no homem e, por esse motivo, o rastreio preventivo é tão importante através do exame de sangue para coleta do PSA (Antígeno Específico da Próstata) e do toque retal, com excelente custo-benefício.

Segundo ele, o questionário revelou que 79,3% dos homens tinham entre 45 anos e 65 anos; 60% deles já realizaram exames de toque retal e PSA; 31% já fizeram algum desses exames; 8,7% nunca fizeram nenhum dos exames preventivos; 56% dos entrevistados iniciaram o rastreio no período recomendado dos 45 a 50 anos; 16% fizeram o exame ocasionalmente e 51,3% alegaram fazer regularmente os exames preventivos.

Dos 48,7% que não fazem ou deixaram de fazer os exames periódicos anualmente como recomendado, 22,7% realizam os exames preventivos de forma irregular, com intervalo acima de 1 ano, e 10% dos homens não iniciaram o rastreio nem a prevenção do câncer de próstata.

Na apuração final, Caio Jorge considera que o questionário foi respondido via digital, portanto, por homens com acesso a informação, e mesmo assim, 40% dos participantes não fizeram os exames de forma integral; associando o toque retal com o exame do PSA sérico. “Além disso, quase 10% deles nunca fizeram exame preventivo algum e não iniciaram o rastreio”.

Outro dado que chamou a atenção do médico é que quase 49% dos homens, por mais que tenham iniciado os exames preventivos, não fazem o rastreio anualmente conforme a recomendação.

Em sua conclusão, o radioterapeuta aponta que a maioria dos homens mostrou ter acesso e conhecimento sobre aspectos da prevenção e rastreio do câncer de próstata, no entanto, uma parcela significativa não segue adequadamente as diretrizes preconizadas pelas principais entidades médicas. “Isso é preocupante, pois a detecção precoce é feita através dos exames preventivos realizados regularmente”, considerou.

Da Redação

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

4 × três =