Centro Cultural Martha Watts comemora 18 anos

Foto: Amanda Vieira/JP

Missionária escolheu Piracicaba para fundar primeira escola metodista do Brasil

O Centro Cultural Martha Watts comemora 18 anos de sua reinauguração. A missionária norte-americana que dá o nome ao espaço, escolheu Piracicaba para fundar a primeira escola metodista do Brasil por ser uma cidade em franca expansão. Para Joceli Lazier, coordenadora do espaço criado em 2003 e que homenageia a missionária, as palavras que melhor descrevem a educadora são: destemida, determinada e carismática.

Joceli afirma que Martha Watts enxergou além de suas fronteiras, e acreditou que a mulher poderia ser a protagonista da sua própria história, juntamente com os homens. “Ela foi um marco para a superação da educação excludente tanto no Brasil como em Piracicaba. Ela incluiu a mulher nos processos amplos de ensino-aprendizagem, muito além de meras atividades domésticas”, destacou Joceli.

Ao se integrar à cidade se apaixonou ao ponto de dizer em uma das cartas que escrevia para as mulheres norte-americanas: “Agora caras amigas, o que acham de “minha cidade”, como eu já a chamo? Já me sinto muito ligada a ela e pressinto que serei muito feliz aqui”.

Da mesma forma, o Centro Cultural Martha Watts tem essa ligação com a cidade, entre os seus principais acervos está a história do município retratada, como é o caso do acervo Rocha Netto e o acervo de João Chiarini, além do Museu Jair de Araújo Lopes, que conta a história da educação do Colégio Piracicabano, e da cidade de Piracicaba numa determinada época. “Temos ainda um rico acervo de fotos que retratam a cidade de Piracicaba, seu povo e seus costumes”, destaca a coordenadora.

O jornalista Rodrigo Alves foi bolsista estagiário e trabalhou na mudança do acervo que estava no porão Colégio Piracicabano para as instalações do atual prédio, na rua Boa Morte, no Centro.

“Mudamos de uma sala apertada, escura e fechada para um espaço amplo e moderno, com técnicas de higienização, cuidados com fotografia e conservação do acervo”, lembrou o jornalista que também foi monitor dos visitantes centro cultural.

ATIVIDADES
A coordenadora destaca que as atividades culturais foram atingidas pela pandemia da covid-19 e a exposição que estava no centro cultural precisou ser encerrada, as pesquisas interrompidas e toda a programação foi cancelada.

“Em 2020, trabalhamos com muitas atividades virtuais através do projeto InspirArte. Por meio dele, artistas da cidade de Piracicaba, região e de todo o Brasil puderam participar com seus trabalhos artísticos, o que nos possibilitou conhecer artistas que seria difícil conhecermos em outros momentos”, contou.

O centro cultural desenvolveu projetos que puderam ser executados apesar da pandemia. Entre eles, Joceli cita o projeto Depoimentos, em que pessoas ligadas à arte e cultura destacaram o que esperam da arte após a pandemia.

O projeto Vídeo poesia contou com a participação de pessoas de idades variadas, que gravaram poesias escolhidas a partir do acervo João Chiarini, além de outras atividades como a Semana de Museus e Primavera de Museus. “Enquanto tentávamos entender o que estava acontecendo, tivemos a chance de criar oportunidades e ações que nos dessem alento, já que a arte consola o viver”, destacou a coordenadora.

Neste ano, após a suspensão das as ações presenciais, o centro cultural retomou as atividades internas e algumas manutenções deverão ser realizadas antes da abertura ao público em geral e retomada das programações físicas que estavam acontecendo e programadas.

HISTÓRIA
Em 13 de fevereiro de 1845 nasceu nos Estados Unidos, Martha Watts, fundadora do Colégio Piracicabano. Jovem missionária americana, ela mudou os rumos da educação quando decidiu se arriscar e embarcar para o Brasil com a missão de educar mulheres. Graças à sua paixão nasceu o Colégio Piracicabano.

Foram vários os desafios ao longo de sua trajetória, como o de desembarcar em um país desconhecido, sem dominar o idioma. Mesmo assim, ela persistiu na realização de seus sonhos e, em 1881, criou o Colégio Piracicabano. Com a inauguração da escola, a luta para transformar a educação da época estava apenas no início.

Beto Silva
[email protected]

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

quinze − 4 =