Centro de Zoonoses registra 4º caso de raiva em morcego no ano

Foto: Amanda Vieira/Arquivo/JP

Segundo a Saúde, animal estava morto, caído na calçada de um condomínio residencial do Santa Rosa

Piracicaba já regista neste ano quatro casos de raiva em morcego. A confirmação é do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses). O animal estava morto, caído na calçada interna de um condomínio residencial, na segunda-feira no bairro Santa Rosa, identificado como sendo da família Phyllostomidae, subfamília Stenodermatinae e espécie Artibeus lituratus. Os outros três casos de raiva em morcegos aconteceram nos bairros Parque Orlanda, Campestre e São Dimas, todos insetívoros.

Somente este ano, o CCZ já recolheu e enviou para diagnóstico da raiva, aproximadamente, 160 morcegos. No ano passado, ao todo, foram cerca de 300 animais recolhidos, com seis positivos para a doença, sendo que dois desses positivos foram recolhidos no Parque Orlanda, um no Jupiá, um no Centro, um no Pau D’Alhinho e um na Vila Independência.

De acordo com a bióloga do CCZ, Regina Lex Engel, os morcegos da família Phyllostomidae possuem um apêndice nasal em formato de folha e das 5 subfamílias pertencentes à Phyllostomidae, todas possuem essa folha nasal, à exceção da subfamília Desmodontinae, dos morcegos hematófagos, que têm o apêndice nasal arredondado, em formato de ferradura. “O hábito alimentar dos morcegos dessa família é bem diversificado, sendo algumas famílias frugívoras, outras nectarívoras e a hematófaga, se incluindo aí, os morcegos ‘vampiros’”, relata.

Segundo Regina, a espécie Artibeus lituratus têm a dieta predominantemente frugívora, mas pode se alimentar de insetos, flores e folhas, sendo um dos maiores morcegos do Brasil, com comprimento do corpo entre 93 a 133 mm, com envergadura de até 33 cm.

ALERTA
O CCZ alerta para que cães e gatos que não estejam com a vacina antirrábica em dia, sejam vacinados, já que ficam expostos à contaminação, uma vez que existe circulação do vírus na região.

Ainda de acordo com o CCZ, neste ano, o repasse da vacina antirrábica pelo Estado foi reduzido. A orientação é que os proprietários dos animais procurem uma clínica veterinária ou uma agropecuária para que sejam imunizados.

Da Redação

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

treze − 13 =