Centro de Zoonoses registra 4º caso de raiva em morcego no ano

Foto: Amanda Vieira/Arquivo/JP

Segundo a Saúde, animal estava morto, caído na calçada de um condomínio residencial do Santa Rosa

Piracicaba já regista neste ano quatro casos de raiva em morcego. A confirmação é do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses). O animal estava morto, caído na calçada interna de um condomínio residencial, na segunda-feira no bairro Santa Rosa, identificado como sendo da família Phyllostomidae, subfamília Stenodermatinae e espécie Artibeus lituratus. Os outros três casos de raiva em morcegos aconteceram nos bairros Parque Orlanda, Campestre e São Dimas, todos insetívoros.

Somente este ano, o CCZ já recolheu e enviou para diagnóstico da raiva, aproximadamente, 160 morcegos. No ano passado, ao todo, foram cerca de 300 animais recolhidos, com seis positivos para a doença, sendo que dois desses positivos foram recolhidos no Parque Orlanda, um no Jupiá, um no Centro, um no Pau D’Alhinho e um na Vila Independência.

De acordo com a bióloga do CCZ, Regina Lex Engel, os morcegos da família Phyllostomidae possuem um apêndice nasal em formato de folha e das 5 subfamílias pertencentes à Phyllostomidae, todas possuem essa folha nasal, à exceção da subfamília Desmodontinae, dos morcegos hematófagos, que têm o apêndice nasal arredondado, em formato de ferradura. “O hábito alimentar dos morcegos dessa família é bem diversificado, sendo algumas famílias frugívoras, outras nectarívoras e a hematófaga, se incluindo aí, os morcegos ‘vampiros’”, relata.

Segundo Regina, a espécie Artibeus lituratus têm a dieta predominantemente frugívora, mas pode se alimentar de insetos, flores e folhas, sendo um dos maiores morcegos do Brasil, com comprimento do corpo entre 93 a 133 mm, com envergadura de até 33 cm.

ALERTA
O CCZ alerta para que cães e gatos que não estejam com a vacina antirrábica em dia, sejam vacinados, já que ficam expostos à contaminação, uma vez que existe circulação do vírus na região.

Ainda de acordo com o CCZ, neste ano, o repasse da vacina antirrábica pelo Estado foi reduzido. A orientação é que os proprietários dos animais procurem uma clínica veterinária ou uma agropecuária para que sejam imunizados.

Da Redação

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

18 − nove =