Cidade bate recorde: 7 mortos e mais 186 infectados por covid-19 em um dia

Valor de R$ 3,1 milhões equivale a 201 plantões de 12 horas/mês (Foto: Amanda Vieira/JP)

No dia em que o Estado de São Paulo anunciou queda nas mortes por covid-19, Piracicaba registrou ontem recorde de mortes e de novos casos da doença. De acordo com os dados disponibilizados pela prefeitura, foram sete óbitos nesta segunda-feira, sendo seis homens, três deles residentes em asilos, com idades entre 45 e 86 anos, e uma idosa de 70 anos.

Nesta segunda-feira a cidade também registrou recorde de novos casos da doença. Foram 186 diagnósticos da doença, dos quais 99 são homens na faixa etária entre oito e 79 anos e 87 mulheres de três a 78 anos de idade.

Com as atualizações nas estatísticas, Piracicaba contabiliza agora 130 mortes, 4.733 infectados, 952 casos suspeitos, 3.267 pessoas curadas e outras 1.336 pacientes em tratamento.

REDUÇÃO NO ESTADO
O Governo do Estado de São Paulo confirmou ontem mais uma queda, pela terceira semana consecutiva, no número de mortes pelo novo coronavírus no Estado. A menor taxa de letalidade por covid-19 da série histórica também foi registrada em São Paulo, com 4,8% nesta segunda – no início de maio, chegou a 8,6%.

Na última semana, houve 27 óbitos a menos em comparação à semana anterior – foram registrados 1.706 vítimas entre os dias 5 e 11 de julho, contra 1.733 entre 28 de junho e 4 de julho. A redução tem sido observada de maneira constante nas últimas semanas. Entre os dias 14 e 20 de junho, o número de óbitos foi de 1.913 óbitos; na semana seguinte, de 21 a 27 de junho, foram 1.769, uma diferença de 144 mortes.

No decorrer da pandemia, o estado tem um número acumulado de 374.607 casos confirmados e 17.907 óbitos referentes ao novo coronavírus.

VOLUNTÁRIOS
O Governo do Estado anunciou nesta segunda-feira o lançamento da plataforma, pelo Instituto Butantan, para a triagem de voluntários no estudo de eficácia e segurança da vacina contra o coronavírus. A iniciativa é resultado de parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac Life Science, parte do grupo Sinovac Biotech. Poderão se candidatar profissionais de saúde que trabalhem no atendimento a pacientes com covid-19.

Os testes serão realizados em cinco estados e no Distrito Federal. Por meio do portal, será possível acessar a plataforma de triagem para saber se o candidato corresponde aos critérios de recrutamento. O cadastramento nos centros de pesquisa participantes começa a partir de hoje.

Dentre os critérios para a seleção dos voluntários, estão também não ter sofrido infecção provocada pelo novo coronavírus, não ter participado de outros estudos e as mulheres não poderão estar grávidas ou estarem planejando uma gravidez nos próximos três meses. Outra restrição é não ter doenças instáveis ou que precisem de medicações que alterem a resposta imune.

O processo de testagem se inicia em 20 de julho nos centros de pesquisa. Na capital paulista, são três centros selecionados: o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paul, o Instituto de Infectologia Emílio Ribas e o Hospital Israelita Albert Einstein. Ainda no Estado de São Paulo, participarão a Universidade Municipal de São Caetano do Sul, o Hospital das Clínicas da Unicamp (Campinas), a Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto e o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP de Ribeirão Preto.

AULAS NO ENSINO SUPERIOR
A Secretaria de Estado da Educação anunciou ontem que as atividades práticas e laboratoriais de cursos do ensino superior e técnico podem ser retomadas, assim como estágio curricular obrigatório e internato dos cursos de medicina, enfermagem, farmácia, fisioterapia e odontologia de forma regional e gradual, nas cidades classificadas por 14 dias na fase 3 (amarela) do Plano São Paulo.

A educação complementar não regulada, que Compreende cursos livres, como idiomas, informática, artes, entre outros, passa a ser enquadrada como setor de serviços do plano estadual.

No ensino superior e educação técnica, a retomada das atividades presenciais práticas e laboratoriais, assim como as atividades de estágio curricular obrigatório terão de respeitar a presença máxima de até 35% do número de alunos matriculados. Para isso, as cidades na qual se localizam os Departamentos Regionais de Saúde precisam estar, no mínimo, 14 dias na fase 3 do Plano São Paulo.

Beto Silva